Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
79 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54948 )
Cartas ( 21059)
Contos (12121)
Cordel (9546)
Crônicas (21135)
Discursos (3109)
Ensaios - (9910)
Erótico (13133)
Frases (39903)
Humor (17551)
Infantil (3560)
Infanto Juvenil (2308)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135661)
Redação (2874)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4196)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Textos_Jurídicos-->O aumento do IPTU decreta o fim da p -- 22/10/2009 - 19:43 (Armando A. C. Garcia) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:131005781786158500

O aumento do IPTU decreta o fim da propriedade privada

Cruz, credo, barbaridade
Se o IPTU da cidade
Disparar lá nas alturas
É a inflação das ditaduras

Nosso povo tão sofrido
Pelo salário reduzido
Em razão da deflação
Assim, o diz a União

Como é que ele vai pagar
Um imposto de amargar
Que seu Prefeito, imperfeito
Sem pejo e sem respeito

Quer o imóvel tributar
Como querendo acabar
Com a propriedade privada
Face à cobrança abusada

Afinal sem inflação
Inquiro o Chefe da Nação
Se não está enganada
A lei, se sancionada

Não tem edilidade
P´ra defender a cidade
Onde ela está no momento
P’ra tirar do sofrimento

O povo humilde, coitado
Que sendo assim espoliado
Perderá seu patrimônio
Se não estourar o neurônio

Se o povo ficar calado
Contra o abuso projetado
Com esse absurdo aumento
Vai transferir sem documento

Para a Municipalidade
Seu sonho. A propriedade
Que a duras penas ergueu
Não paga. Perde o que é seu

Minha gente Paulistana
Não deixes a caninana
O seu bote levantar
O veneno, pode matar

A inexorável ruína
Está na idéia libertina
À qual não poderás fugir
Se deixas o imposto subir

Ó gente da minha terra
Eu não quero fazer guerra
Apenas vos alertar
É triste ver-vos chorar

Aceitai o meu conselho
Olhai o rosto no espelho
Vereis que o tempo passou
E a inflação não voltou

Ao contrário o que se deve
É descontar de quem teve
Como feira a sua rua
Ou zona azul que o autua

Como então pode o Prefeito
Querer aumentar a seu jeito
Nosso imposto predial
Que o diz de forma gradual

Patrimônio de uma vida
De privações e sofrida
Nas agruras, no trabalho
Quer tirar nosso agasalho

Se a inflação não surgir,
Os aumentos que hão de vir
Por mais que os julgue legais
Os tenho por ilegais

A isto, pode-se chamar
Sem ter medo de errar
De um comunismo branco
Onde a casa, vai no tranco

Pois ninguém poderá pagar
Tão desproporcional aumento
Este é o meu intento
Minha forma de alertar !

São Paulo, 22/10/2009
Armando A. C. Garcia

Visite meu blog: http://brisadapoesia.blogspot.com
E-mail:armandoacgarcia@superig.com.br



Olá pessoal !
Ler e divulgar: “O aumento do IPTU decreta o fim da propriedade privada” é do interesse geral.
Vamos cerrar bandeiras em prol da defesa de nossos direitos.
Cordialmente
Armando A. C. Garcia

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 12Exibido 559 vezesFale com o autor