Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
133 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56607 )
Cartas ( 21127)
Contos (12502)
Cordel (9854)
Crônicas (21849)
Discursos (3121)
Ensaios - (9995)
Erótico (13199)
Frases (41605)
Humor (17731)
Infantil (3604)
Infanto Juvenil (2329)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137018)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4497)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Redação-->SENTINDO A VIDA -- 15/05/2018 - 04:36 (Dalva da Trindade S. Oliveira (Dalva Trindade)) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:153791732216197800




SENTINDO A VIDA











Amei o texto de Diego Engenho Novo: "Mulher ao centro da vida".





São tantas verdades boas!





O sorriso aberto sem lembrar-se de rugas, celulites, aceitando-se com todas as perfeições e imperfeições, adquiridas ou não ao longo dos anos, com qualidades e defeitos, pois são parte da sua essência...





Viver porque gosta da vida, aproveitar as boas oportunidades, reencontrar a infância e adolescência através de amigos que o tempo recoloca em seu caminho, ou dos que nunca saíram dele e continuam muito importantes.





Sentir-se em paz para assumir suas decisões, mas aberta, também, a conhecer sempre algo novo.





Revigorar-se em cada fonte e seguir em frente, sem temor, confiante e feliz com o tempo que Deus lhe dá.





Manter o romantismo de uma garota, com sonhos que não encontram barreiras e a imaginação que viaja a todos os lugares que ela deseja, amando amar os seus devaneios, assim como as suas realidades.





Esta é a mulher de meia idade com a qual me identifico hoje, "ao centro da vida".





Esta mulher necessitou decifrar um enigma que lhe fazia bem ao final de cada dia e a inquietava, ao mesmo tempo, por não encontrar a razão facilmente: descobrir que estava a viver em paz.





Todos esses fatos e sentimentos tornam-na uma mulher jovem, com vigor renovado, a descortinar um novo mundo com mais sabedoria, paladar mais aguçado e mais seletivo.





Jovialidade não é um privilégio só das pessoas ao centro da vida, mas ela usa esta característica para aumentar o prazer de descobrir e saborear tudo o que oferece o nascimento de um dia repleto de possibilidades.

















Dalva da Trindade S. Oliveira





(Dalva Trindade)





31.03.2018
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 3Exibido 126 vezesFale com o autor