Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
83 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56412 )
Cartas ( 21156)
Contos (12572)
Cordel (9948)
Crônicas (22079)
Discursos (3130)
Ensaios - (8870)
Erótico (13328)
Frases (42855)
Humor (18217)
Infantil (3699)
Infanto Juvenil (2512)
Letras de Música (5461)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137703)
Redação (2905)
Roteiro de Filme ou Novela (1051)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4608)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->SENTIMENTOS ENCASTELADOS -- 06/10/2002 - 14:20 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos




SENTIMENTOS ENCASTELADOS

Jan Muá

4 de outubro de 2002







No castelo de nossas vidas

Teus silêncios imperiosos dominam os salões

A custo me movo para encontrar tua voz encastelada

E ainda que percuta teclados e invente escalas e acidentes musicais procurando sons e ecos

E a todos os movimentos imprima o ritmo de andante

O eco de tua voz não chega...



Adoraria chegar à expressão de tua palavra amorosa

Mas as teclas não me devolvem nada que seja familiar ao coração

Das ondas acústicas que visitam meus ouvidos

Tua voz continua sumida

E tenho dificuldade em explicar a ausência da palavra anulada

Que era cheia de força e de entusiasmo

Agora já nem ecos de simples confissão ou de declaração de amor

Me trazem os ambientes sobre tua presença

Teu nome só minha lembrança o repete

Nem mesmo quando te canto românticas melodias

Tua palavra se ausenta fugitiva

E me deixa repetindo meu solo de saudade

Monocordicamente melódico mas sem resposta



Outrora as juras de amor bailavam no painel do ouvido

Mas agora apenas solitária só as lembranças e as saudades

Poderão devolver tuas espectrais vontades expressas

Teus gestos tuas chamadas ou teus gritos

E nada é como antigamente

Onde a primavera se associava ao teu alegre grito feliz

Não sei ainda se as dúvidas significam sensação de tua desistência ou fuga

Se adormecido continuas no peso de teus silêncios

Assegura-me pelo menos os antigos ecos de tua presença

Sinal palpável de tua proximidade

E redenção amorosa de teus silêncios...



Jan Muá

4 de outubro de 2002





















Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 73Exibido 662 vezesFale com o autor