Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
81 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55325 )
Cartas ( 21071)
Contos (12178)
Cordel (9606)
Crônicas (21334)
Discursos (3113)
Ensaios - (9921)
Erótico (13145)
Frases (40234)
Humor (17570)
Infantil (3576)
Infanto Juvenil (2311)
Letras de Música (5419)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135948)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4238)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Infantil-->CONVERSA DE DUAS SENHORAS -- 02/12/2017 - 17:00 (Maria Hilda de J. Alão) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
CONVERSA DE DUAS SENHORAS

Maria Hilda de J. Alão


Duas senhoras, moradoras na casa da Língua Portuguesa, conversavam alegremente. Eram elas: D. Onomatopeia e D. Prosopopeia. D. Onomatopeia rindo alto, ah,ah,ah, falava de sua linhagem.
- Eu venho de uma família muito importante da Língua Portuguesa: a Figuras de Linguagem e pertenço à classe das Figuras de Palavras.
D. Prosopopeia disse sorrindo:
- Também pertenço a Figuras de Linguagem. Além de Prosopopeia, nome que eu adoro, sou conhecida como Personificação, Figura de Estilo ou de Retórica. Dou qualidade humana a objetos ou seres vivos.
Admirada com as qualidades de D. Prosopopeia, D. Onomatopeia disse:
- Tic-tac, você falou por duas horas e eu não ouvi o triiimmm do telefone nem o ding-dong da campainha. Até agora não vi você personificar nada.
- Você está no mundo da lua. Precisa prestar mais atenção ao que se passa ao seu redor. Olhe aquelas flores dançando ao vento; o jardim olhando os pássaros; folhas bailando ao sabor do vento e a chuva cantando nos telhados.
- D. Prosopopeia, o meu coração está fazendo tum-tum-tum emocionado com tanta coisa bonita que disse. Fale mais porque acho que vou chorar, sniff sniff.
-Não chore, olhe para o sol sorrindo para nós, sorria amiga!
D. Onomatopeia enxugou os olhinhos e agradeceu as palavras de D. Prosopopeia.
- Obrigada, você é uma amiga de verdade. Não farei sniff sniff nem buaááá, vamos juntas ouvir o cri cri cri dos grilos no jardim.
Ficaram as duas senhoras conversando até a noite e chegar. D. Prosopopeia, suspirando, olhou para o céu e disse:
- Veja amiga, como a lua brilha feliz, sinta o beijo da brisa.
D. Onomatopeia, atenta, ouvia tudo até um cão, ao longe, com seu au au au. E assim terminou a história de duas amigas que vivem no mundo da linguagem.
- Entendeu menino? Deixe de blá- blá- blá e escreva!

02/12/17
(histórias que contava para o meu neto)
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 27Exibido 114 vezesFale com o autor