Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
93 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55047 )
Cartas ( 21061)
Contos (12128)
Cordel (9564)
Crônicas (21222)
Discursos (3108)
Ensaios - (9913)
Erótico (13135)
Frases (39978)
Humor (17551)
Infantil (3562)
Infanto Juvenil (2309)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135724)
Redação (2875)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4204)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Erótico-->Aventura sexual no Carnaval -- 31/01/2003 - 01:39 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA (marceloosouzasom@hotmail.com) zap 71-992510196) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

AVENTURA SEXUAL NO CARNAVAL 




Não sei o que é mais atrativo em Salvador, o acolhimento do seu povo, as festividades populares, o verão constante, o conjunto arquitetônico do Pelourinho, ou tudo junto. 
Além disso, aqui tem o Carnaval mais participativo do Brasil, que já está exportando sua festividade para todos os cantos em forma de micareta.* 
Adilson, Valmir e Maurício são irmãos, todos da mesma faixa etária, Adilson não é muito fã da festa, mas como Valmir e Mauricio não perdiam uma muvuca* , ano após ano, ele vai mais no embalo, para fazer companhia, além do mais nessa época, na televisão só passa isso. 
Os rapazes se dirigiram para a Avenida Sete de Setembro, um dos circuitos da festa, para ver o Trio Elétrico passar, com ele, principalmente, as garotas, que vão e vêm ao sabor das músicas, em “trenzinho”, que normalmente, fica a mais feia no fundo, pois quem quiser se aventurar, tem que paquerar primeiro a feiosa, se quiser conhecer a que estiver no centro, certamente terá mais trabalho. 
A galera dança, se diverte, passa a mão nas meninas que vão passando, alguns chegam a extrapolar, passando a mão nos seios, bunda e até na vagina das garotas, que também não são fáceis, pois aparecem com cada shortinho e top, que parece biquíni. 
Tinha um rapaz perto deles que pegou uma garota à força e tacou-lhe um beijo de tirar o ar, que é bem “normal”,para a época; Aassim como outro que segurou com a mão a vagina de uma negra, que ela se esperneou até ele saltar, e um que puxou o top da menina desnudando-a em plena rua, apresentando os seus formosos seios queimados de sol. 
Parece uma loucura, mas todos mesmo assim se divertem, não sei se essa sensação das pessoas poderem fazer tudo, que ninguém é de ninguém, como é bastante divulgado, encanta,atrai, até estimula-as a fazerem isso. 
Os irmãos estavam já há algum tempo, se divertindo junto, só Adilson que saía de vez em quando  para tentar paquerar, alguma menina fora do circuito. 
Quando passou o trio do Chiclete com Banana, parecia um  furacão, pois é o mais animado, apareceu um comboio de garotas, que Mauricio não perdeu tempo, agarrou na cintura de uma delas, e se mandou em meio a multidão, deixando os dois irmãos para trás, pois não conseguiram acompanhar, mas já sabiam se não desse certo a paquera, Maurício certamente voltaria a encontrá-los. 
Nosso alegre folião  acompanhou-as pelos caminhos do Carnaval, e foi logo testando a menina, perguntou o nome, que era gina e depois foi logo tacando o beijo, sendo  recebido de bom grado, saindo agarrado na cintura dela.
Chegado a um determinado tempo, ele convidou-a a sair do circuito, o que ela relutou um pouco, pois estava acompanhada das amigas, decidindo consultá-las, dizendo que ia ali com Maurício.  – Esse “ali” é muito longe!
Nosso amigo  ofereceu uma cerveja em uma das barracas da praça da Piedade, depois mais uma e não tomaram mais nada, se dirigindo a um lugar mais calmo para namorar. Como ele já planejara tudo, escolheu A Biblioteca Central, que ficava ali pertinho, é bem deserto e escuro, onde  algumas pessoas vão ali para este intuito. O famoso “matadouro”.
Chegando lá se beijaram, como nunca, ele resolveu logo passar a mão em seu seio, chupando-o  com volúpia, como se estivesse cheio de sede e aqueles seios aprouvessem a mais pura e cristalina água, ela segurou logo no pênis dele e começou a massageá-lo, com fervor e beijá-lo fazendo um princípio de sexo oral ali mesmo, que chegou até a assustar o nosso amigo, pois ali era um lugar público, mesmo com pouca gente. 
Não satisfeita com isso ela perguntou logo se ele tinha camisinha, em que apresentou logo a seguir, mesmo assustado com tal pergunta. Logo após ela pediu para tirar a calcinha dela e seguidamente a cueca, e fizeram sexo em plena biblioteca, ali bem no chão, onde Gina parecia mais um tufão com tanto desejo, chupando o seu pescoço; nesse momento, apareceu um casal conversando, e viu os dois em pleno coito,  abismados, eles  passaram  rapidamente. 
Mauricio foi  que ficou desconcertado  com o incidente, ele nem conseguiu ejacular, o que  Gina conseguiu alcançar o orgasmo carnavalesco, fazendo isso umas três vezes. 
Ao terminar o divertimento, ele saiu e ficou em uma das transversais do circuito, já por volta de três horas da manhã, encontrando as amigas de Gina, em que parecia que já havia combinado encontrar ali determinado horário. 
Ela abraçada a ele falou que não podia mais vê-lo pois tinha noivo,  que ele era evangélico e não gostava daquele tipo de festa. 
Assim nunca mais eles se encontravam, e já no outro dia, Maurício encontrava-se no circuito da Barra com os irmãos esperando o trio Timbalada passar.

Micareta* Festa de carnaval fora de época 
Muvuca* Festa, bagunça organizada 

 

 

Marcelo de Oliveira Souza

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui