Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
60 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56825 )
Cartas ( 21161)
Contos (12584)
Cordel (10012)
Crônicas (22151)
Discursos (3132)
Ensaios - (8954)
Erótico (13388)
Frases (43345)
Humor (18383)
Infantil (3751)
Infanto Juvenil (2630)
Letras de Música (5464)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138024)
Redação (2918)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2394)
Textos Jurídicos (1923)
Textos Religiosos/Sermões (4766)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->AMOR A DOIS -- 02/09/2000 - 23:29 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos






AMOR A DOIS





Jan Muá

2 de setembro de 2000







O amor é mais do que viajar

É pertencer

É mais do que pertencer

É ser



É um estado se criando

E se aprofundando

No bojo de outro ser



É um caminhar misterioso

De mãos dadas

Na órbita nuclear do universo

Em beijo íntimo e próximo



É sentir sem saber

E inquietar-se na sensação

De ser envolvido

Na complexa teia do ser



É ser encandeado

Pela alvorada matutina

No círculo de outro sol



É entrar no horizonte obscuro da vida

Acompanhando a nuclear força

Que nos pulveriza



É experimentarmos a química do sol em labaredas

É estarmos juntos e atônitos

Sem determinismo antecipado



É sentirmos no fiar de um novelo só

A complexa história

De um fio que nos tece



É descobrirmos alguém ao lado

Que nos arrebata

Ao nos tocar a fibra mais macia da pele



É o afago de alguém que nos beija

Nos lê nos fala

E nos engrandece



É um segredo de alma

Que nosso corpo veste

E um corpo que em nossa alma se projeta



É a força de alguém que nos tece

Com a suavidade digital

De que gostamos



É um mergulho de uma ninfa em nosso mar

Nos carregando

Para a dimensão do amor



É a teia que nos penetrou

Da oceânica medida

E deu às ondas a doçura do beijo que nos alegra



É a luz das manhãs ensolaradas

E de pasarinhos cantando soltos

Compondo música metafísica densa

Estampada nas fibras ocultas da alma amante



É a linha do tempo em projeção

Nos dando a sensação de espanto

Na carícia do sentimento e da emoção...







Jan Muá



Brasília, 2 de setembro de 2000
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 73Exibido 767 vezesFale com o autor