Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
34 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56722 )
Cartas ( 21160)
Contos (12582)
Cordel (10005)
Crônicas (22134)
Discursos (3130)
Ensaios - (8935)
Erótico (13377)
Frases (43194)
Humor (18334)
Infantil (3739)
Infanto Juvenil (2596)
Letras de Música (5463)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137947)
Redação (2915)
Roteiro de Filme ou Novela (1054)
Teses / Monologos (2386)
Textos Jurídicos (1922)
Textos Religiosos/Sermões (4723)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Agora -- 21/04/2014 - 11:02 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos



Agora



 



salto sem corda em algum espaço

e resta só o olhar para me agarrar



cadê você que eu te vi



muitos anos correram a me seguir

e voaram como pássaros

e cadê eu, que não vi?



Mas agora não importa.



Porque pode-se inventar um cometa

e passar com o tempo dentro dele

sugando-lhe as entranhas

com sol ou neve



pode-se inventar a poesia

insana

comestível

ou cigana



aquela que antes não víamos

a que acendia a lareira das paixões

atrevidas



porque embora fuja hoje

o frescor do que passou



o século pode agora

morar dentro do instante

no encontro de um olhar

com outro olhar; outro dia







----------------------------------------


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 116 vezesFale com o autor