Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
91 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55220 )
Cartas ( 21066)
Contos (12156)
Cordel (9589)
Crônicas (21293)
Discursos (3112)
Ensaios - (9914)
Erótico (13140)
Frases (40122)
Humor (17564)
Infantil (3566)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5416)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135847)
Redação (2879)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4226)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Um Estranho Conhecido -- 16/10/2002 - 11:24 (Poeta Maldito) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Naquela noite a lua ainda não havia aparecido. Talvez por causa dos brilhos das luzes que podiam ser confundidas. O importante é que eu me dirigia sobre a maca a uma sala fria. O inverno acabava e a primavera, ainda fria pela chuva, não dava as caras. Um latia quando eu fechei o portão, a noite não havia sido boa. Portão de ferro, trinco pesado. Algo jáo irritava sem saber.
As vidas se cruzam por aí e nunca se sabe o que pode acontecer. Pingos de memória traçam as linhas. Capaz de tudo seria o homem se visse a tonalidade daqueles olhos. Nem de amor, nem de prazer poderia falar sem perceber. A camada mais profunda da terra é o miolo.
Já se esqueceu de brilhar por parecer dia. Era um lugar santo parecido com o inferno. Num vácuo do pensar não coube a linha. Não há culpa no desvairado sibilar da vida. Consequências imaturas resgatadas sem vontade. Já bastou por um dia, mas continua durante a noite. Símbolos coloridos piscam nas nuvens que passam. Névoa cerca a casa do pai. Caçaram pelo cansaço o mendigo e sua ruina identificada. Reprimiram as virgens em bacias de perfume. Lactáceo desejo de transpor. Acúmulo encorajado pela covardia. Sintoma incompreendido às margens do rio antigo, Tames.
A verdade se ridicularizou demais para ser reconhecida. Por mais que eu fale, não irão entender.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui