Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
119 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55051 )
Cartas ( 21061)
Contos (12130)
Cordel (9564)
Crônicas (21226)
Discursos (3108)
Ensaios - (9913)
Erótico (13135)
Frases (39979)
Humor (17551)
Infantil (3562)
Infanto Juvenil (2309)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135726)
Redação (2875)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4205)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->VITÓRIA DA ESMOLA SOBRE O TRABALHO -- 27/10/2014 - 19:13 (Henrique César Pinheiro) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
A vitória da preguiça ou da esmola sobre o trabalho. Os paulistas, os sulistas de um modo geral, em parte, têm razão de nos culpar pela derrota de Aécio. Entretanto, os sulistas deveriam não nos cobrar somente, mas cobrar as empresas paulistas, porque eleição se ganha com dinheiro e o financiamento da campanha da Dilma teve a fonte vindo das empresas do Sul. O Nordeste não tem condições de bancar uma campanha desta.
Entendo a revolta e eu mesmo me incluo nesta revolta, pois preferimos uma esmola ao trabalhar. Quando o paulista diz que nos sustenta é verdade. São Paulo é quem impulsiona nossa economia; quem nos sustenta e quem paga impostos neste País, o restante, como o próprio Rio de Janeiro, é mero figurante. Para o povo paulista de uma forma geral, somos nós, nordestinos, culpados na realidade, pois não entendem o funcionamento da máquina de campanha, quando eles são os maiores culpados, dando dinheiro ao Lula e ao PT. Sem o dinheiro deles, não haveria o PT, que nasceu na capital paulista, mais precisamente no ABC.
Depois eles veem com a história de que nordestino vota no PT e vai para São Paulo atrás de melhorar de vida, que é governado pelo PSDB. Eles entendem assim, e desta forma criam contra nós uma antipatia grande, geram constrangimentos e até mesmo repulsa contra o povo do Norte e do Nordeste. Já ouvi pessoas do Sul pedindo para não se fazer mais turismo na merda do Nordeste. Isso é grave, mas uma coisa criada em parte por nós, na visão deles, e de certa forma foi, pois se a Bahia se desse ao respeito, ou mesmo Pernambuco respeitasse Eduardo Campos, não teria havido o que houve. Não estou excluído o Ceará, mas aqui infelizmente o Tasso Jereissati se aliou ao Eunício que apoiava Dilma e os Ferreiras Gomes também apoiavam Dilma.
A eleição mostrou, entretanto, que o Lula não tem mais a força que tinha em São Paulo. Por outro lado, a incompetência do Aécio foi tão grande que perdeu no seu próprio Estado, em Minas Gerais e o Rio de Janeiro também deu vitória a Dilma. Isso, entretanto, não será levado em consideração, pois a culta será sempre nossa.
Na realidade, o Nordeste e o Norte do País se venderam por uma esmola. Pela bolsa família, pela bolsa bandido, dentre outras esmolas que temos por aí. Vão dizer que o PT fez o bom governo, pois o povo hoje anda de carro. O governo do PT é tão bom que os petistas famosos estão quase todos presos.
A incompetência do Aécio e de toda a cúpula de seu partido aliada à falta de coragem deu nisso. Ninguém teve coragem de denunciar as fraudes nas eleições. Claro que houve, e isso é bem claro. Ninguém teve coragem de encarar a Dilma e dar um basta no Lula. Fernando Henrique se faz de morto. Depois que saiu da Presidência se omitiu totalmente. Ele e os demais lideres do seu partido e todos os oposicionista deixaram correr frouxo. Deixaram o Lula fazer o que bem quisesse, não chamaram a Dilma de criminosa nos debates, mostrando o roubo da Petrobrás e o desvio de dinheiro para Cuba e para Bolívia.
Terminada a eleição Aécio, covardemente, admitiu a derrota e não questionou nada das fraudes eleitorais. Deixou pra lá, como quem diz, perdi, perdi. E o povo, que botou esperanças nas mãos dele fica órfão. Pois o Brasil não quer Dilma. Nós somos quase duzentos milhões de habitantes, e Dilma tem o apoio de vinte e cinco por cento da população. Se levarmos em consideração os eleitores, que são cento e quarenta e quatro milhões, temos um percentual de trinta e seis por cento, o restante, ou seja, sessenta e quatro por cento dos eleitores não querem Dilma.
O povo esquece, ou melhor, não tem qualquer conhecimento da história. Hitler nos levou à Segunda Guerra Mundial, porque os alemães foram envolvidos pela oratória dele, assim como os russos se deixaram levar por Stálin, Cuba por Fidel a China por Mao. Agora a mesma coisa ocorre aqui no nosso País. Em breve estaremos comendo casca de pau e sendo obrigados a passar vinte e quatro horas batendo em panelas, como Mao obrigou os chineses a fazer, para matar os pardais, sob a alegação de que aqueles pássaros eram os culpados pela falta de comida na mesa do povo, quando ele obrigava seu povo a doar toda a produção para o Estado e mandava para a URSS. Anos depois a peste de insetos assolava o País e a China teve que importar, pasmem, duzentos mil pardais da URSS, para combater a praga de insetos.
Os militantes esquerdistas, ou melhor, os petistas são inocentes úteis. Muitos por ignorância, achando que os ideias comunistas são sinceros e têm como meta o bem-estar do povo, quando o que eles querem mesmo é voltar ao feudalismo, serem os donos da propriedade, tomando-a de quem trabalha. Os militantes esclarecidos, ou seja, esses pseudointelectuais são por burrice mesmo. Leem Gramsci, Lênin e outros bandidos e acham que vão salvar o mundo, que o mundo seria muitos melhor se pondo em práticas os ideias de Marx. Quando tais ideais na realidade visa tão somente a tomada do poder. Por que eles esquerdistas quando saem do Brasil, até mesmo na época do militares, exilavam-se países como a França, se iam para país comunistas era somente para aprender táticas de guerrilhas. Por que Chico Buarque, Nieymeier iam beber vinho em Paris e não em Havana? Por que são falsos moralistas, que se aproveitam da ingenuidade do povo, fazendo-se passar por paladinos com seus discursos bonitos, inflamados, suas letras de músicas de protesto.
O Estado brasileiro está sendo todo aparelhado pelo PT. O PT não tem projeto de governo, tem projeto para tomar o Estado. O PT não admite o jogo democrático. Lula dizia que o povo não sabia o que eles eram capazes de fazer se não ganhassem as eleições. José Nobre Guimarães ameaçou censurar os meios de comunição tão logo acabassem as eleições, pois criminalizar o Lula, nas palavras dele, seria criminalizar a democracia brasileira. Que democracia? Censura que eles condenavam na época dos militares. A candidatura à deputada federal da Luisiane Lins foi impugnada e ameaçou juízes, dizendo que era candidata de qualquer maneira, com justiça ou sem justiça.
Depois disso tudo, o povo ainda acredita em velhas promessas da Dilma de que irá fazer isso e aquilo. Veja somente, para se dar um exemplo, o caso da transposição do São Francisco que começou em 2002 e até hoje não foi feita. Bem o mau, o Ciro Gomes quando governador do Ceará, em 1993, fez o Canal do Trabalhador, como ele chamou, em noventa dias. Foram, se não me enganou, construídos trinta e seis quilômetros de canal, para abastecer Fortaleza numa das piores secas que assolou o Ceará, e punha em risco o abastecimento d´água da capital.
À transposição do São Francisco, vamos supor que seja necessária a construção de mil quilômetros de canal, fazendo-se uma regra de três: se o Canal do Trabalhador foi feito em noventa dias, a transposição só precisaria de uns quinhentos. Claro que dirão que a obra do Ciro não permaneceu. Entretanto, na ocasião, dado o exíguo período de tempo que se dispunha, foi o que pôde fazer. Então, vamos dobrar o tempo para dois mil dias. Dois mil dias seriam mais ou menos cinco anos, mesmo sendo muitos dias, vamos admitir. Embora, numa época de pouca tecnologia, os militares fizeram a Ponte Rio Niterói, uma obra muito mais complexa, em três anos e meio e um trabalhador de setenta anos em Minas rasgou uma vala de mil metros, sozinho em trinta e sete dias.
O próprio Ciro Gomes, numa entrevista, e aliado de Dilma, disse claro e em bom tom que a Dilma não ia deixar nada, que não fizera nada em quatro anos. Nas próprias palavras do Ciro Gomes, repito, ele dizia, por exemplo, que Juscelino fez Brasília em cinco anos e o Orós construiu duas vezes, nesses mesmos cinco anos.
Portanto, meu povo, prepare-se para o pior. Prepare-se para ter a liberdade cassada, as casas invadidas e ser obrigado a morar em cubículos divididos com outras pessoas que você nunca viu, como aconteceu na antiga União Soviética.
E a culpa não será exclusivamente de nordestinos, mas também de sulistas que financiaram esta campanha e o partido do Lula. Tmbém tenho minha parcela de culpa. Em eleições passadas, ou melhor, na primeira eleição de Lula em 2002, acreditei no molusco e votei nele, como em muitos outros crápulas da esquerda como Inácio Arruda, João Alfredo, Mário Mamede. Na época do militares, também acreditava nesse povo que nos governa hoje e votei em Saturnino Braga,no Rio de Janeiro, em Paes de Andrade aqui, na Maria Luisa Fontenele e em outros esquerdistas, que nos trouxeram este infortúnio de hoje.
Nossa esperança reside ainda nas Forças Armadas e que os novos senadores e deputados eleitos tenham a bravura dos Bolsonaros e enfrentem a onda vermelha que assola nosso País.

Henrique César Pinheiro
Fortaleza, outubro/2014.
Comentários

Eliana  - 27/10/2014

Poeta Henrique César, desconhecia seu lado Politico e Social .
PARABÉNS sua qualidade nos liberta pelo seu sentimento e paixão pelo melhor do nosso País.
Obrigada pela aula de conhecimento politico e social. MAGNIFICO ARTIGO.
Não ficou devendo nada. Nem temos espaço para comentários.

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 36Exibido 330 vezesFale com o autor