Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
39 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56958 )
Cartas ( 21165)
Contos (12592)
Cordel (10049)
Crônicas (22177)
Discursos (3133)
Ensaios - (8978)
Erótico (13390)
Frases (43487)
Humor (18425)
Infantil (3760)
Infanto Juvenil (2652)
Letras de Música (5466)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138148)
Redação (2919)
Roteiro de Filme ou Novela (1054)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1924)
Textos Religiosos/Sermões (4823)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->A DESRAZÃO DOS DERROTADOS -- 11/06/2015 - 17:15 (Edmar Guedes Corrêa****) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Este artigo foi escrito em novembro de 2014, poucos dias após o seguindo turno das eleições presidenciais, e foi publicando no MEU BLOG. Com o meu retorno à Usina de Letras, resolvi postá-lo agora, pois ainda me parece bastante atual.




Embora muitos discordem, não há como negar que a eleição da presidenta Dilma foi legítima e democrática. Os ataques mútuos e a baixaria de ambos os lados não afetou em nada o processo eleitoral e o brasileiro não teve o seu direito de escolha cerceado, como costuma acontecer nos regimes autoritários. E o mais importante: não houve fraude, o que de fato teria tornado o processo ilegítimo.

Uma parte considerável daqueles que apoiam Aécio Neves reagiram de forma irracional e, inconformados com a derrota, acusaram injustamente os nordestinos pela derrota do candidato do PSDB, quando, na realidade, Dilma venceu em outros estados, os quais não faziam parte do Nordeste, e teve votação expressiva no Sudeste. Ora, acusar a população dessa ou daquela região pela derrota de seu candidato não tem o menor cabimento. Esse é preço da democracia. Não vamos nem entrar no mérito do preconceito contra os nordestinos, pois isso não merece discussão.

Outro argumento dos derrotados que não se justifica é a alegação de fraude devido à demora em sair os primeiros resultados, os quais, ao serem disponibilizados, já mostravam Dilma na frente. O processo eleitoral brasileiro é considerado um dos mais seguros do mundo e exemplo para muitos países. Apesar de não existir sistema imune à fraude, as urnas eletrônicas são seguras. Então não há porque questionar o processo. O falto dos resultados terem saído quando a totalização já estava no fim talvez seja a justificativa daqueles que alegam fraudes, mas não devemos esquecer que o envio de dados é feito diretamente pelos locais de votação e os quais são fiscalizados por representantes dos partidos em disputas. Isso, se não impede a manipulação dos votos, dificulta em muito, tornando praticamente impossível. Os dados não foram disponibilizados antes por causa do fuso horário, uma vez que no estado do Acre, a votação só foi encerrada por volta de 20:00 horas. Nos estados onde a eleição encerrara três horas antes, os votos já tinha sido totalizados, mas não poderiam ser divulgados para não influenciar aqueles que ainda não tinham votado. Aliás, foi a primeira vez que o segundo turno ocorreu após o início do horário de verão. Enfim. Mais um argumento sem o menor fundamento.

E por último, alegar que o PT fez terror eleitoral e consequentemente influenciou muitos eleitores também não se justifica. De fato, a campanha da Presidenta Dilma jogou sujo contra Aécio Neves, mas o jogo sujo ocorreu dos dois lados. Aliás, isso não é caso típico da política brasileira. Nos EUA esse jogo sujo também ocorre, embora não de forma tão baixa como ocorreu no último pleito. Aliás, o próprio PT foi vítima desse jogo sujo em 1989, o qual de fato influenciou o resultado das urnas, mas essa influência não ocorreu no último pleito. Aliás, só idiota acreditaria que a reportagem da revista Veja contra a candidata Dilma não teve a intenção de influenciar o eleitor e ajudar a campanha de Aécio.

Na falta de argumentos consistentes para questionar a eleição de Dilma, aqueles que ainda não se conformaram com a derrota, embora Aécio e o próprio PSDB já a aceitaram, vêm articulando movimentos na intenção de provocar o impeachment da presidenta eleita. Se fosse feito no último ano ainda se poderia dar alguma legitimidade ao movimento, mas agora não passa de um oportunismo barato e sem o menor fundamento. Dilma acabou de ser eleita e não há clima político e nem justificativa plausível para iniciar um processo de cassação. Até porque a legislatura do Congresso está no fim e o novo Congresso empossado não o fará, a não ser que surja um fato muito grave que justifique tal processo.




ENCONTRE-ME TAMBÉM:

NO RECANTO DAS LETRAS

NO FACEBOOK

TWITTER

NO MEU BLOG







LEIA OUTROS ARTIGOS DE MINHA AUTORIA:

O JOGO DE CENA ENTRE O OCIDENTE E A RÚSSIA

MARCHA DA FAMÌLIA: UM DESVARIO

O SILÊNCIO DO BRASIL NA CRISE UCRANIANA

A VENEZUELA À BEIRA DE UM CAOS

OS TEMPOS SÃO OUTROS

MINISTRO ADMITE NOVOS APAGÕES

O QUE HÁ POR TRÁS DA RENÚNCIA DE AZEREDO

O PERIGOSO CAMINHO TRILHADO PELA VENEZUELA

A BÉGICA E A EUTANÁSIA

VEM AÍ MAIS APAGÕES

SOBRE AS DOAÇÕES A GENOÍNO E DELÚBIO

OS INVESTIMENTOS BRASILEIROS EM CUBA

O JOGO POLÍTICO PARA AS ELEIÇÕES COMEÇOU

OS ROLEZINHOS NOS SHOPPING CENTERS

OS HORRORES NO PRESÍDIO DE PEDRINHAS

DILMA LARGA COM GRANDE VANTAGEM

UM POVO QUE JOGA DINHEIRO FORA

OS CRÍTICOS MEIA BOCA

DROGAS E HIPOCRISIA

A OPÇÃO PELOS CAÇAS SUECOS

O POVO QUE NÃO LEVA NADA A SÉRIO

JOSÉ GENOINO E LUIS BONAPART

KASSAB ESTÁ EM MAUS LENÇÓIS

O PAPAI NOEL E A ESPIONAGEM AMERICANA

2014 NÃO SERÁ FÁCIL PARA DILMA E O PT

MARINA SILVA AGIU IMPULSIVAMENTE







NÃO DEIXE DE LER: 30 TEXTOS MAIS LIDOS DA USINA NOS ÚLTIMOS 6 MESES
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui