Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
72 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54597 )
Cartas ( 21042)
Contos (12049)
Cordel (9418)
Crônicas (20968)
Discursos (3104)
Ensaios - (9880)
Erótico (13102)
Frases (39638)
Humor (17532)
Infantil (3554)
Infanto Juvenil (2304)
Letras de Música (5408)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135304)
Redação (2862)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1912)
Textos Religiosos/Sermões (4141)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->PERDENDO A CABEÇA. -- 10/08/2015 - 12:59 (Ana Zélia da Silva) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

PERDENDO A CABEÇA.
Meu Deus! Por que tanta maldade num mundo tão disperso,
Onde ninguém mais se respeita.
Minha irmã, MARIA OLIVETE DA SILVA , 76 anos, depois de 35 anos servindo à Previdência Social

como Auxiliar de Enfermagem, perdeu o rumo de casa, não sabe onde mora.
Tem uma história de vida que precisa ser refeita, escrita, contada.
Por quase 30 anos morou na rua Ceará, próximo ao Amazonas Shopping,
Todos os dias alguém de sua família ia tomar um café com tapioca, Eloá atendia a todos com a mesma distinção.
De repente por sugestão, vendeu sua casa e ia construir outra por cima da casa de um filho que mora no Shangrilá 4.

Em menos de uma semana numa briga entre ela e a nora, ele a expulsou de casa e desesperada

ela comprou um apartamento no Vale do Sol I, em Petrópolis. Isto sozinha, porque tinha medo das sombras.
De repente se perdeu, não soube voltar pra casa. Ia tendo um AVC, que se tornou sério demais.
Passou um tempo na casa de outra irmã Terezinha, a mais velha lá na Cidade Nova.

Frequentadoras do Parque do idoso onde almoçavam todos os dias tiveram a interferência do Serviço Social e da psicóloga do parque
Que enviaram as informações para a Defensoria Pública, que autorizou o filho a tomar conta dela.
Acontece que isto deu ao cidadão direitos que estão prejudicando sua saúde,

primeiro porque esta doença precisa de bastante atenção dos familiares, ele proibiu as duas únicas irmãs que ela tem em Manaus

a se aproximarem da mesma, quando a encontramos ele vem ameaçando. “ Não deem nada a ela, se der eu jogo na cara de vocês,

ou dou pr4a outra pessoa, levem ela pra casa de vocês. Ela coitada, pouco fala, mas diz que in felizmente

entregaram ela nas mãos da pessoa que ela não gosta. De verdade eles se odeiam.

Sempre dei roupas a ela, não sei o que ele fez das últimas que dei.

Estamos todos temendo por agressões a nós e a ela que está indefesa.
Se estamos proibidos por ele de visitá-la, de falar com ela, só o Poder Maior pode ordenar o respeito que ela merece

e colocá-lo no seu lugar. A ele é um carma ficar com ela, mas nenhuma das duas podem assumi-la

, a mais velha mora só e eu vivo com uma filha. Ela é aposentada da Previdência.
Por favor, estou perdida, faz mais de 20 anos que não advogo, sou Secretária Aposentada do tribunal de Justiça do Amazonas.
É um desabafo. Manaus, 22 de junho de 2015- Ana Zélia
 

Comentários

Eliana  - 11/08/2015

Ana Zélia é o trem da vida portanto em cada estação desembarca e embarca alguém não fique triste viver é uma caixinha de surpresa todos os dias abrimos o presente e venha o que vier devemos aceitar.Valeu o seu desabafo. Se cuida.
PARABÉNS seu artigo está bem real.

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 25Exibido 198 vezesFale com o autor