Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
77 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55241 )
Cartas ( 21066)
Contos (12158)
Cordel (9594)
Crônicas (21296)
Discursos (3111)
Ensaios - (9914)
Erótico (13140)
Frases (40133)
Humor (17566)
Infantil (3567)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5416)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135869)
Redação (2879)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4226)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Falta educação!!! -- 21/05/2017 - 14:45 (Valdomiro Carezia) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Falta Educação !!!

A educação toda formada sobre os clássicos pagãos, embebida de máximas e sentenças exclusivamente pagãs, ensinada com métodos pagãos, especialmente em nossos dias, em que a escola é tudo, não formará jamais verdadeiros cristãos.” (São João Bosco)

 

Educação e saúde: vocábulos extremamente importantes e presentes em nosso dia a dia, infelizmente por motivos negativos. Vitais para o ser humano e para a sociedade e verdadeiros cabos eleitorais para os nossos políticos cujas bandeiras hasteadas nas campanhas, são enroladas e esquecidas passadas as eleições.

Saúde à parte, pensemos um pouco na nossa educação.

Não é raro ouvirmos que somos um povo mal educado. É muito triste, mas há constatações que permitem tais afirmações. O fato é que sofremos muito com isso interna e externamente. Estatísticas nacionais e internacionais mostram o Brasil em situações vergonhosas de desempenho intelectual e de comportamentos sociais.

É urgente investir na educação dos filhos. A sociedade moderna agoniza e, sem educação adequada, torna-se impossível formar cidadãos conscientes, responsáveis.

Lamentavelmente chegamos a uma situação preocupante diante de tanto descaso dos nossos políticos e administradores. E olhe que não é por falta de tradição. Durante muito tempo a nossa educação escolar foi exemplar, cabendo grande parte do mérito à Igreja católica, pela dedicação de religiosos e religiosas. Realmente dá saudade.

Estamos diante de uma sociedade que poderia ser chamada de geração fora de casa. A maior parte das crianças deixa muito cedo a casa para conviver com o mundo, tutelado por instituições escolares ou não, cada dia mais abundantes. Estas fazem o que podem, mas estão longe de compensar a convivência familiar, sobretudo com as mães.

A realidade mostra que, embora complicado, família não pode renunciar a ser lugar de apoio, acompanhamento e guia. A propósito das pretendidas reformas trabalhistas em curso, seriam bem-vindas normas que flexibilizassem as jornadas de trabalho das mulheres, permitindo a elas ajustar, ainda que algum sacrifício, suas atividades profissional e familiar.

Quanto à Igreja, nunca deixou de se preocupar com a formação do povo, mas perdeu muito espaço diante das mudanças da sociedade.

Destacamos aqui, por ser recente, a preocupação do papa Francisco, sobretudo com a formação dos jovens, sem dúvida, um investimento no futuro da nossa sociedade.

Em sua Exortação Amoris Laetitia, o Papa aborda a desafiadora e complexa arte e missão de educar os filhos, neste contexto de rápidas mudanças culturais. Enfatiza ele que os pais são decisivos “no desenvolvimento moral dos seus filhos. Consequentemente, o melhor é aceitarem esta responsabilidade inevitável e realizarem-na de modo consciente, entusiasta, razoável e apropriado”.

Cabe aos pais, indelegavelmente, “... orientar e alertar as crianças e os adolescentes para saberem enfrentar situações onde possa haver risco, por exemplo, de agressões, abuso ou consumo de droga”. Quem melhor que os pais para preparar os filhos para que saibam “defender-se e agir com inteligência e cautela em circunstâncias difíceis”?

Não se trata, entretanto, de isolar as crianças, os adolescentes e os jovens da sociedade e do mundo. “A grande questão não é onde está fisicamente o filho, com quem está neste momento, mas onde se encontra em sentido existencial, onde está posicionado do ponto de vista das suas convicções, dos seus objetivos, dos seus desejos, do seu projeto de vida”.

O que se deseja é uma educação que promova “liberdades responsáveis, que, nas encruzilhadas, saibam optar com sensatez e inteligência”.

“O desenvolvimento afetivo e ético duma pessoa requer uma experiência fundamental: crer que os próprios pais são dignos de confiança. Isto constitui uma responsabilidade educativa: com o carinho e o testemunho, gerar confiança nos filhos”.

Vale ainda lembrar que a educação requer autoridade, compreensão, dedicação e disciplina, para que se torne “um estímulo para ir sempre mais além”, com um “limite construtivo do caminho que uma criança deve empreender e não um muro que a aniquile...”.

Que Nossa Senhora ajude pais e educadores!

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui