Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
77 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55241 )
Cartas ( 21066)
Contos (12158)
Cordel (9594)
Crônicas (21296)
Discursos (3111)
Ensaios - (9914)
Erótico (13140)
Frases (40133)
Humor (17566)
Infantil (3567)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5416)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135869)
Redação (2879)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4226)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->A alegria de evangelizar -- 08/10/2017 - 13:24 (Valdomiro Carezia) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

A alegria de evangelizar

A Alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Quantos se deixam salvar por Ele e são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento! Com Jesus Cristo, a alegria renasce sem cessar”. (Papa Francisco)

É impossível não concordarmos que o mundo e a sociedade mergulham rapidamente num materialismo, se encanta com o ter, com o consumo descontrolado e se escraviza diante do “deus” dinheiro.

É urgente acordar e reagir. Sem exagero, já estamos em estado de alerta. Infelizmente as atitudes do ser humano envergonham as nossas qualidades naturais e desnaturam o projeto da criação do homem que deveria ser imagem e semelhança de Deus.

Poderíamos citar as inúmeras justificativas para nos preocuparmos; mas, sempre é tempo de reverter esse quadro negro da vida. O mês de outubro é dedicado às missões. É um alerta para acordar sobretudo a nós cristãos católicos para uma revisão de vida, uma tomada de consciência da nossa força e da nossa responsabilidade de batizados e marcados pela graça de Deus quanto aos rumos da sociedade. Estatísticas indicam que em algumas regiões chega a 70 % o número de batizados que se afastaram da Igreja.

Para Bento XVI, o problema do nosso tempo se resume numa crise moral, fruto de uma “crise de Deus”, uma ausência de Deus, de religião levada a sério. O ser humano vem-se contentando com uma “religiosidade vazia”, que acaba por ruir a nossa fé. A consequência é uma verdadeira “epidemia” de preguiça espiritual que nos torna fracos para lutar contra a guerra que a sociedade desenvolve contra o sobrenatural, contra a Vida Divina a que somos chamados por Deus.

O mundo precisa de uma “nova evangelização”. Missão que foi confiada aos apóstolos pelo próprio Cristo e que se estende até nós: “Ide ao mundo e anunciai o Evangelho para toda a humanidade”. Portanto, repetindo as palavras de Paulo: “Ai de mim se não anunciar o Evangelho”!

“Convertei-vos e crede no Evangelho”. Evangelizar-se para evangelizar. Viver o Amor de Deus, segundo a Verdade, que nos fortalece e nos afasta das mentiras do mundo. Evangelizar para recristianizar o mundo, tornar presente no coração dos homens a “boa nova, a boa notícia” acerca da verdadeira identidade de Jesus Cristo: plenamente Deus e plenamente homem que, por amor, morreu na cruz para nossa salvação, e ressuscitou dos mortos, garantindo a vida eterna ao seu povo. E isso não é passado, é hoje e sempre. Está no meio de nós “todos os dias, até o final dos tempos”.

Presente na Eucaristia, alimenta e sustenta a nossa vida plenamente.

Esta boa notícia não é outra coisa senão o amor de Deus, um amor tão incondicional, tão absoluto, tão verdadeiro como a cruz. Amor para ser vivido e irradiado… capaz de transformar os corações.

É preciso perceber que a vida tem muito mais do que o mundo pode oferecer pois o material não é suficiente para dar sentido a nossa vida.

Nas palavras do papa Francisco, o nosso coração “sabe que a vida não é a mesma coisa sem Jesus Cristo; pois bem, aquilo que descobriste, o que te ajuda a viver e te dá esperança, isso é o que deves comunicar aos outros”.

Podemos concluir que o homem enfrenta uma desordem existencial e a sociedade sofre as consequências. O mundo está gravemente “enfermo”, carece de paz e de justiça, agoniza por falta de amor e de solidariedade. Tem jeito, mas depende do homem. Este sozinho não tem forças para vencer a maldade do mundo (o joio) que ameaça a bondade ( o trigo) de assumir a vida humana em sua plenitude. Precisa de religião, precisa de uma ligação forte com Deus.

Não se esqueça, a messe é grande e precisa de operários. O Reino de Deus precisa atingir a todos; precisa de anunciadores para levar Jesus àqueles que não O conhecem ou àqueles que O rejeitam.

Salve Maria!

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui