Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
42 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56315 )
Cartas ( 21150)
Contos (12564)
Cordel (9932)
Crônicas (22050)
Discursos (3130)
Ensaios - (9099)
Erótico (13315)
Frases (42747)
Humor (18170)
Infantil (3689)
Infanto Juvenil (2485)
Letras de Música (5460)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137623)
Redação (2903)
Roteiro de Filme ou Novela (1050)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4590)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Passagem -- 18/11/2018 - 10:45 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Passagem





Era cara e portanto me contive e continuei a poupar para um futuro em que houvesse condições propícias. Saia pelas ruas a catar restos jogados pela sociedade e que já não serviam mais, assim como eu mesma. Durante décadas, acreditou numa função familiar e social, mas foi se adequando ao que lhe era permitido, desde que fosse sempre indo. Ação, devia ser sua missão ordinária e principal, contanto que não postergasse nenhuma ação. Então, seguia a catar, procurar, vestir, calçar, trabalhar, estudar, ajudar, cuidar… todas as formas infinitivas da ação lhe eram privativas. No entanto, sua privacidade não. Devia todas as prestações desde acusações à inquisições. No entanto sempre ia até o destinatário final, a cova permanente.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui