Usina de Letras
Usina de Letras
64 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60285 )

Cartas ( 21285)

Contos (13379)

Cordel (10352)

Cronicas (22252)

Discursos (3187)

Ensaios - (9687)

Erótico (13520)

Frases (48083)

Humor (19493)

Infantil (4788)

Infanto Juvenil (4142)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1344)

Poesias (139186)

Redação (3100)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2436)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5773)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->DEZ ANOS DE SAUDADE DE CHICO ANÍSIO -- 01/04/2022 - 08:03 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Dez anos de muita saudade

Do Chico Anísio. Show!

A tristeza é tamanha:

O Vasco não faz mais gols.

Porque nosso Chico Anísio

Pra outro lugar alçou voo.

 

Saudade de Alberto Roberto

Aquele grande artista

Alfacinha, Alfinete

Jovem sempre ativista.

Setembrino, Sacadura,

Silva com problema de vista

 

Apolo, Roberval Taylor

Com aquele seu vozeirão,

Trazendo notícias diárias

Para toda a Nação.

Bexiga, Neide Taubaté

Do doutor Napoleão.

 

Setembrino articulando

Uma grande revolução

As recaídas do hétero

Nosso querido Haroldão.

Deputado Justo Veríssimo

Um finíssimo ladrão.

 

Tavares e a Biscoito

O vampiro, Bento Carneiro

Mas tem uma certa bruxa

Que vivo no nosso terreiro

Destilando bruxarias

Contra o povo brasileiro

 

A simpática Salomé

Criticando o presidente

De maneira respeitosa

Com modos bem contundentes

Tim Tones que sempre tinha

Sua sacolinha presente.

 

Paulo Maurício Azambuja

E seu parceiro Linguiça

O grande craque Coalhada,

Não treinava com preguiça,

Otávio Arlindo Antunes

Que jogou até na Suíça.

 

Nosso querido Azambuja

Tramando as suas trapaças

E a mulher do Santelmo

Para os outros fazia graça

O calo do Nicanor

Era verdadeira desgraça.

 

Dr. Rosseti, Meinha

O craque cheio de história

Bexiga, Pantaleão

Sempre contando suas glórias

Suas brigas com Pedro Bó

Por conta das interlocutórias.

 

A ausência de nosso mestre

Deixou um vazio profundo

Aqui se faz homenagem

Para qualquer vagabundo

Não se prestigia, o cearense,

O maior artista do mundo.

 

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO

FORTALEZA, MARÇO/2022

Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 25Exibido 73 vezesFale com o autor