Usina de Letras
Usina de Letras
56 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60362 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3193)

Ensaios - (9714)

Erótico (13520)

Frases (48249)

Humor (19550)

Infantil (4828)

Infanto Juvenil (4179)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139358)

Redação (3118)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->Uma trova de gaúchos III -- 01/07/2022 - 15:08 (Carlos Alê) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

 



- Eu já nasci brasileiro,

Gaúcho, pra ser exato,

e de quem fala balela

não aceito desacato

Venha aquele que vier

veterano ou novato

mas na trova galponeira

se quiser só brincadeira

eu não vou deixar barato



- Eu não vou deixar barato?

Eu discordo do vivente

pois eu penso que tu é

um faroleiro somente

Numa peleia comigo

que sou mais experiente

vai levar tanto puaço

e vai ser um erro crasso

não sair da minha frente



- Não sair da minha frente?

O teu verso eu não abono

Diz tu que é rei da trova

mas eu já te questiono

Gildo nunca declarou

da coroa ser o dono

Ele até quis te ensinar

mas não era pra deixar

um usurpador do trono



- Um usurpador do trono?

Não diga coisas atoa

A ressalva que tu fez

do meu trabalho destoa

Eu só quero que o taura

respeite a minha pessoa

Quando tô improvisando

tenho idéia sobrando

pra honrar minha coroa



- Pra honrar minha coroa?

Teu reinado é suposto

Diz que Gildo foi o rei

e já ocupou o posto

Quer ser um dos maiorais

mas eu só vejo o oposto

Se tu fosse o sucessor

qualquer outro trovador

já teria te deposto



- Já teria te deposto?

Teu valor eu nunca vi

Se tu sabe improvisar

mostre pra todos aqui

Tu tem que reconhecer

que na trova é um guri

Só faz versos corriqueiros

O mais fraco dos troveiros

nunca vai perder pra ti



- Nunca vai perder pra ti?

Se enganou este xiru

A platéia aqui em volta

pode ver a olho nu

que guri saber trovar

já não é mais um tabu

Teu verso não foi feliz

conheço uns trinta guris

que trovam mais do que tu



- Que trovam mais do que tu?

Não tá certo o que tu diz

É porque não sabe ainda

onde meteu o nariz

Na história do improviso

tu ainda é aprendiz

Se tu não mudar de planos

nem vivendo mais cem anos

tu não faz o que eu já fiz



- Tu não faz o que eu já fiz?

Verso eu faço com rigor

Diz que sou só um guri

e desdém o meu valor

Nunca foi um enfermeiro

mas garante ser doutor

Muitos anos já viveu

nem assim tu aprendeu

o que é ser trovador



- O que é ser trovador?

O teu pensamento é torto

Procurando a resposta

concentrado ou absorto

faz do verso decorado

tua zona de conforto

Já me causa um embaraço

pois querer te dar puaço

é chutar cachorro morto



- É chutar cachorro morto?

Tu só sabe é dar pitaco

Já tentou me corrigir

mas um erro eu destaco

Diz que tua trova brilha

mas o teu brilho é opaco

Dos artistas de outrora

no verso feito na hora

tu sempre foi o mais fraco



  - Tu sempre foi o mais fraco?

Mas tu já mentiu pro tio

Tu tem muito que aprender

pra chegar no meu perfil

Diz tu que sabe trovar

mas ninguém ainda viu

Tu só quer nos enganar

Deixa esta pra contar 

num primeiro de abril



- Num primeiro de abril?

São bobagens que tu diz

pois insiste que na trova

sou ainda um petiz

mas levar sova de todos

é coisa que eu nunca fiz

Vejo que não se acovarda

apanhou da velha guarda

hoje apanha dos guris



- Hoje apanha dos guris?

Penso que é o inverso

Num talento insuperável

é adonde me alicerço

Dizer que não sou melhor

é um ponto controverso

Por já ter experiência

mostro minha excelência

no cabo xucro do verso



- No cabo xucro do verso?

A mentira é descabida

De ser o mais arrogante

tua fama é merecida

Tu só quer se promover

e disso ninguém duvida

No ofício de troveiro

tu parece um boleiro

que só joga pra torcida



- Que só joga pra torcida?

Isto é um engano teu

Que eu sou mais trovador

só tu não reconheceu

Tu aqui levou a tunda

que teu pai nunca te deu

Outra vez eu vim provar

que em matéria de trovar

ninguém trova como eu



- Ninguém trova como eu?

De ninguém se acoberta

que ingressando na trova

tu não fez a coisa certa

pelos fiascos que faz

quando o taura de aperta

Dizer isto eu preciso

só deixando o improviso

este erro tu conserta



- Este erro tu conserta?

Mas não sou deselegante

Quero a trova galponeira

manter forte e pulsante

Com tuas rimas perfeitas

tu também segue adiante

Pois quem vive neste chão

deve honrar a tradição

deste Rio Grande gigante



 


Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui