Usina de Letras
Usina de Letras
56 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59671 )

Cartas ( 21255)

Contos (13333)

Cordel (10321)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9538)

Erótico (13486)

Frases (47222)

Humor (19421)

Infantil (4628)

Infanto Juvenil (3940)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138787)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5662)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->O NOME DELE ERA PROBLEMA -- 15/11/2021 - 21:10 (Renato Souza Ferraz) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

O NOME DELE ERA PROBLEMA

Renato Ferraz

 

O funcionário novato se apresentou à recepção

Avisou que veio trabalhar ali a mando do patrão

A sua empresa prestava serviço com locação

Ele era motorista experiente de carreta e caminhão

 

O supervisor mandou perguntar o nome do trabalhador

A recepcionista respondeu: - É “problema”, doutor!

O chefe ficou intrigado e o mandou dispensar

Ligou para o patrão de “problema” para ele se explicar.

 

O patrão disse que era Asclepíades o nome do trabalhador

O chefe, enquanto não ficou esclarecido, não se conformou

Mas o patrão o convenceu que seria melhor Asclé lhe contar

Que a sua empresa era idônea e tinha um nome a zelar

 

Novamente o motorista voltou e ao chefe se apresentou

Sorridente, parecia até gostar do apelido, tudo explicou

Asclepíades tinha 1,85m, era negro e 140 kg pesava.

Sua voz era muito fina e sempre com bom humor falava

 

Tinha 10 anos que naquela mesma empresa trabalhava.

Nunca recebeu punição e seu emprego ele adorava

Falou que preferia não ter aquele nome tão diferente

Que se parece mais ser nome de elefante que nome de gente

 

E que o apelido de “problema” para ele era indevido

O chefe pediu para explicar qual era o sentido

O motorista disse que aonde chegava já tinha o problema lá

Não era ele quem criava, mas acharam por bem assim o apelidar

 

O supervisor mandou Asclepíades melhor se explicar

Ele disse, no inverno com a estrada ruim, se o carro atolar

Se eu viajo, tem uma greve e a pista está interditada

Todo mundo fica doido, mas eu não posso fazer nada

 

Na troca de turno, se encontro o carro quebrado

O que eu tenho a ver com o defeito encontrado?

O senhor tá vendo, o “pobrema” não sou eu o causador

Eu sou um pobre trabalhador, peço compreensão ao senhor

 

Realmente ele era simpático, disposto e interessado.

O seu jeito de falar era mesmo. muito engraçado

Mas que era um pé frio, todo mundo sabia

Apesar que isso em nada o comprometia

 

Problema continuou trabalhando naquela empresa

Sempre sorridente e realizando a sua proeza

O chefe não podia nada contra ele fazer

Que cuidasse de os outros problemas resolver

Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 1Exibido 43 vezesFale com o autor