Usina de Letras
Usina de Letras
26 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62477 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50864)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->CASAMENTO -- 21/08/2007 - 11:36 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Uma palavra bem feia
que rima com excremento
e que faz um sujeito
virar um grande jumento.
Vocês sabem que eu estou,
falando do casamento!

O homem quando se casa,
arranja aquele tormento.
E na vida não terá mais
sossego um só momento.
Mas se não casa também
vão chamá-lo de bielento.

Por mais pacato que seja
sujeito se torna briguento
Eu acho que vira mesmo
verdadeiro xexelento.
Há ainda risco de levar
chifre a qualquer momento.

O cara sustenta a mulher
e dela também o rebento,
que às vezes nem é dele,
sim de um outro elemento.
Mas agora com DNA
diminui esse tormento.

Porém veja que acontece
com o querido jumento,
mesmo com aquilo grande,
ele não confia no talento.
Se goza cai logo fora.
Foi um fica de momento.

Casar é grande burrice
que trás aborrecimento.
Separar é bem pior;
a pensão é seu advento.
Você ainda vai ter briga
com advogado nojento

Se faz pompa muito grande
naquele dia do evento.
Filmagens da ocasião
assistir, outro tormento,
mas obrigam os amigos
a esse novo sofrimento.

Muitos até se endividam
o reflexo vem com o tempo,
quando começam cobranças,
brigas a todo momento,
as confusões, bate boca,
e daí o xingamento.

Mesmo assim todos querem
curtir o tal casamento.
Essa coisa masoquista;
dela só se ouve lamento.
Mas quando dele se livra
há ainda recrudescimento.


HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
AGOSTO/2007
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 1038 vezesFale com o autor