Usina de Letras
Usina de Letras
73 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60346 )

Cartas ( 21288)

Contos (13386)

Cordel (10358)

Cronicas (22276)

Discursos (3193)

Ensaios - (9712)

Erótico (13520)

Frases (48231)

Humor (19546)

Infantil (4824)

Infanto Juvenil (4173)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139334)

Redação (3115)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2437)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5808)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->PARRUDA -- 31/01/2000 - 21:35 (antonio temoteo dos anjos sobrinho) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
PARRUDA





“é desprezado aquele... que mais mau é pelo que finge ser


do que por aquilo que realmente é”. Ramalho Ortigão,


Primeiras Prosas, p. 148.








É triste esta velha pequena, parruda,


que pelo retrato, se vê, foi bonita,


e lá no passado que o tempo saúda


fez coisa que agora nem ela acredita.





Agreste, caturra, por cima abelhuda,


viveu no casulo a figura esquisita,


num corpo encolhido, de mente miúda


fez poucos amigos e a própria desdita.





Não tendo passado, nem tendo presente,


frustrada se perde num ser deprimente


que gasta e desgasta o melhor, no viés,





da angústia que causa no angu do fuxico,


da intriga que agita em seu próprio penico


e faz sua estultice aferir nota dez.


Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui