Usina de Letras
Usina de Letras
50 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60367 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3194)

Ensaios - (9716)

Erótico (13520)

Frases (48255)

Humor (19555)

Infantil (4830)

Infanto Juvenil (4180)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139367)

Redação (3119)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Textos_Religiosos-->SANTA MARIA -- 12/03/2007 - 09:27 (ANTONIO LUIZ MACÊDO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
SANTA MARIA
Antonio Luiz Macêdo

Até o ano 431 d.C., apenas a primeira parte da Ave-Maria era conhecida e rezada como tal. A explicação é simples: trata-se de uma oração estritamente bíblica.

Quando Gabriel saúda Maria com as palavras: “Alegra-te cheia de graça, o Senhor é contigo”, ele fala em nome de Deus; ele transmite o recado de Deus. Esta saudação não passa da oração de louvor de Deus à sua filha escolhida desde toda a eternidade. No decorrer dos séculos ela sofreu algumas modificações, até a fórmula definitiva: “Ave-Maria cheia de graça, o Senhor é convosco...”

Após a Anunciação, Maria dirige-se à Judéia para visitar sua prima. Quando da sua saudação, Isabel, cheia do Espírito Santo, exclama: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre”. É a oração de louvor do Espírito Santo à sua amantíssima esposa.

E a Santa Maria, como surgiu? No ano 431 surgiu uma heresia (doutrina contrária ao que foi definido pela Igreja em matéria de fé), promulgada e propalada por Nestório, patriarca de Constantinopla. Ele afirmava que Maria era apenas a mãe da humanidade de Jesus, e não da sua divindade. Esta declaração exigiu do papa Celestino I a convocação de um Concílio. Sob a presidência de São Cirilo, bispo de Alexandria, os estudos foram concluídos, apresentando duas declarações finais:
1. A união hipostática de Cristo, ou seja: Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem.
2. Maria é a Theotókos, a Mãe de Deus.

Após a leitura, o papa Celestino I, com lágrimas nos olhos, ajoelha-se, e erguendo o olhar para o céu, clama em alta voz: “Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte”. E todos os bispos conciliares responderam: “Amém”.

Nesta noite, Éfeso esteve em festa. Procissões iluminadas por tochas acesas percorriam as ruas, e o povo repetia em coro: “Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte”. Amém.
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui