Usina de Letras
Usina de Letras
28 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62477 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50864)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->MEGA-SENA JOGO DE CARTAS MARCADAS. -- 19/12/2007 - 11:17 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Nosso povo brasileiro
todo dia é espoliado.
Se acaba um escândalo,
outro é logo anunciado.
Assim o povo não pode
nem respirar aliviado.

A Polícia Federal,
Numa mega-operação,
Descobriu como é roubado
Nosso pobre cidadão
Que aposta na loteria
Pra melhorar situação.

Gente graúda do governo,
grande bando de hiena,
Aumenta o peso da bola
No sorteio da mega-sena,
Pra que o ganhador seja
Um só; não uma centena.

O prêmio da mega-sena
Sempre fica acumulado
Se o valor estiver alto
É que haverá sorteado.
Será um só ganhador
Um sujeito abortado.

O esquema é montado,
E sempre tem um laranja,
Que pra ser sorteado
uma forma se arranja,
e ganha muito dinheiro:
uma verdadeira canja.

O indivíduo sorteado
Sempre mora bem distante
E assim é escolhido
Pra do grupo ser integrante
Depois de fazer a aposta
É só pegar seu montante.

Todo jogo de azar
É tributo indireto
Que se cobra desse povo
que é roubado, decerto.
Mas agora o roubo passou
A ser mesmo mais direto.

Pra roubar grana do povo
O governo criou as loterias.
Tem loteria federal,
esportiva, lotomanias,
com os sorteios de Natal,
até os sorteios das folias.

Tem a quina, dupla sena,
Instantânea e loteca,
Lotogol e totó lec,
que nos roubam até cueca.
Sem falar na estadual
Que seu sorteio nos sapeca.

Como é bem mais honesto,
Mas pra não ter concorrente,
Com jogo do bicho, governo
Nunca foi condescendente,
Mas pra sua própria arapuca
É mesmo bem indolente

Nas contas desses sujeitos,
um bando de espertalhão,
acharam tanto dinheiro
coisa pra mais de bilhão,
e ainda do apostador,
eles rindo ficarão.

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
DEZEMBRO/2007
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 1063 vezesFale com o autor