Usina de Letras
Usina de Letras
25 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50863)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->DE SEDE E FOME SE MORRE III -- 22/01/2009 - 16:46 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Serra de Baturité,
Da Aratuba a Palmácia,
Muita água é falácia,
Pois não dá pra quem quiser
Morre coco catulé.
Água só de caminhão:
Um dia sim e oito não.
É a verdade que ocorre.
De sede e fome se morre
Não se faz transposição.

Água lá do Pacoti,
vendida em outro local,
enquanto o seu pessoal
pra sua precisão suprir
a água tem que pedir.
Apela pra administração
que com pouca condição
é quem o povo socorre.
De sede e fome se morre
Não se faz transposição.

O lençol d¢água secando,
Poluição, desmatamento,
Só quem não vê é o Bento,
A floresta se acabando.
Os poderosos roubando
Dos pobres o seu torrão.
Falta água pra plantação
O povo ainda eles recorre.
De sede e fome se morre
Não se faz transposição.

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
PACOTI, JANEIRO/2009
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 739 vezesFale com o autor