Usina de Letras
Usina de Letras
26 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62477 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50864)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->GOVERNO COMPRA LUBRIFICANTE PRA HOMOSSEXUAIS -- 02/02/2009 - 21:55 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Brasil resolveu comprar
muito gel lubrificante.
Vai gastar muito dinheiro
com quem for dar o bufante,
Pra que o sujeito não sinta
Qualquer ardor abrasante.

Ministério da Saúde
Vai fazer licitação,
Pra comprar lubrificante,
pra fazer “ensebação”
Do pau que for entrar
No cu de qualquer cristão.

Não importa se sujeito
Use o rabo por profissão.
Mas quem pagará a conta
Será qualquer cidadão.
Assim como fizeram
Com o tal do mensalão.

No país falta estrada,
Saúde e segurança
Mas pra quem não faz nada
Há sempre uma esperança
De receber do governo
Até mesma uma herança.

Grana podia servir pra
Controlar natalidade
E quem quiser que se vire
Para ter imunidade
Proteger o carretel
E também extremidade.

Nosso governo se preocupa
Com quem vai dar o carretel,
Como problema de estado
Assim comprou muito gel,
Para distribuição grátis
a quem for dar o anel.

Se é questão de saúde,
Deve ter uma sanção
Àquele que der a bunda
Sem nenhuma prevenção?
Nesse caso como seria
Feita a fiscalização?

O governo já distribui
Seringa e preservativo.
Se o sujeito não usar,
De um modo preventivo,
Deve ir pra prisão por
crime qualificativo.

Dirigir alcoolizado
Poderá até dá cadeia
Por simples suposição
O sujeito toma peia
Não é crime passar AIDS
Uma coisa bem mais feia?

Não há grana pra tapar
Das estradas os buracos
Mas há para se gastar
Pra se dar cus ou tabacos.
Quarenta e sete milhões
Fazem bastantes barracos.

Não é nenhum preconceito
contra quem faz sua opção,
mas simplesmente um protesto
pois há muito cidadão,
em quase todos hospitais,
doente, dormindo no chão.



HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
FORTALEZA, FEVEREIRO DE 2009
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 1033 vezesFale com o autor