Usina de Letras
Usina de Letras
67 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59666 )

Cartas ( 21255)

Contos (13325)

Cordel (10320)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9537)

Erótico (13486)

Frases (47215)

Humor (19420)

Infantil (4627)

Infanto Juvenil (3940)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138779)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5658)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->APENAS UM SONETO -- 04/09/2005 - 14:47 (Abdul Cadre) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Todos morremos sós, chegada a hora,

por mais acompanhados no momento.

Na piedade conforme ao sofrimento

a lágrima é o esconjuro de quem chora.





Quem tal sabe, tolera (não deplora),

compassivo com o humano sentimento.

Mas desprezo, abandono e esquecimento,

que é lei no tempo ingrato que vigora,





Isso não! ó desértica cidade,

onde a criança é peso e o velho entrave

e os mais não têm rosto nem idade!





Pobre tempo, do peito que não sabe

do homem solidário o sentido,

que à solidão plural foi remetido!...



ABDUL CADRE





Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui