Usina de Letras
Usina de Letras
27 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62484 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10471)
Erótico (13578)
Frases (50871)
Humor (20083)
Infantil (5503)
Infanto Juvenil (4822)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140912)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->QUEM SOU EU? -- 02/04/2009 - 19:51 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
O Fernando Veríssimo
Esse grande escritor
Se pergunta quem eu sou?
Se vota é eleitor.
Se não paga seus tributos
Torna-se sonegador.

A ele faço apologia,
mas mudo seu pensamento,
pois aqui neste cordel
incluo todo elemento,
que no país perde o nome
pra ter outro tratamento.

Se não paga o carnê
Vira um inadimplente
Se ajuda um pedreiro
Agora é um servente
Se trabalha na FUNASA
O sujeito é um agente.

Se usa serviço dos Correios
Passa a ser remetente.
Em certas religiões
Torna-se um penitente.
E ser for evangélico
É conhecido por crente.

Na loja quando tem ficha
Todos são chamados clientes.
Para os médicos fica
Conhecidos por pacientes.
Alguns mortos enterrados
Figuram como indigentes.

Num restaurante cliente
Transforma-se em freguês.
Os militantes do PT
Chamam rico de burguês.
Por galera o Faustão
Trata a todos vocês.

Pra Receita Federal
Somos o tal contribuinte.
Mas se escutamos rádio
Passamos a ser o ouvinte.
Quem vive pedindo esmola
Agora é um pedinte.

De drogas ou condução
Existem os usuários.
Para todos os políticos
Somos bando de otários.
Eles vivem de dinheiro
Público. Sugando o erário

Se vamos ao supermercado
Nos tornam consumidor.
E para a televisão
Somos telespectador.
No campo de futebol
Aí somos torcedor.

Mas se for do Botafogo,
Sujeito é sofredor.
Quando compramos um livro
Agora somos leitor.
Quem escreve pra jornal
É só colaborador.

Quem vende coisa importada
Torna-se contrabandista.
Quem gosta de fazer viagem
É chamado de turista.
Já nas escolas de samba
Todo mundo é passista.

Morto pode ser chamado
Também de desencarnado.
Porém os evangélicos
Dirão que foi arrebatado.
Para uns quem foi extinto
E tratado por finado.

Para outros entretanto
Tem-se mesmo um defunto.
Porém ser for desovado
Nós o chamado presunto.
E a mídia trata logo
De falar sobre o assunto.

Pequeno revendedor
É taxado de muambeiro.
Quem faz comprar no Paraguaio
Conhecemos por sacoleiro.
Nunca ninguém dirá seu nome
Se você for um vaqueiro.

Jogador de futebol
Que não teve escalação.
Fica barrado no banco,
Peça de reposição,
Pelo técnico é chamado
Eis sua denominação.

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
BASEADO NA OBRA DE LUÍS FERNANDO VERÍSSIMO, “QUEM EU SOU?”
FORTALEZA, 2 DE ABRIL DE 2009.
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 848 vezesFale com o autor