Usina de Letras
Usina de Letras
51 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59664 )

Cartas ( 21255)

Contos (13325)

Cordel (10319)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9535)

Erótico (13486)

Frases (47209)

Humor (19420)

Infantil (4622)

Infanto Juvenil (3938)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138770)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5656)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Contos-->ESQUECER NUNCA PERDOAR JAMAIS+++ A MENSAGEM, -- 15/11/2004 - 23:55 (ADÃO JORGE DOS SANTOS) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Acordei assustado. Tinha que escrever aquela
mensagem que tive durante a noite. Não sei foi
um sonho ou se realmente vivi aquilo tudo. Ainda
Lembro de tudo o que me foi dito, precisava
urgentemente anotar tudo para não esquecer.
Começava assim.
Aprisionado ,acorrentado, amontoado, fui arrancado
do colo da mãe negra, mãe África. Disseram que
eu não tinha alma, e castigado cruelmente eu
deveria ser, como se eu fosse um bicho selvagem.
Fui colocado em um porão escuro, de um navio
Negreiro, nem sequer condições eu tinha para
comer. Caia um doente ao meu lado, do outro um
morto, entre eles, mulher amigos e filhos. Eu vi
negros serem dilacerados, era a visão do próprio
inferno, negros eram maltratados constantemente
. Eu vim de longe la da mãe África. Como se não
bastasse ter sobrevivido a esta viagem infernal,
fui transformado em mero escravo, eu que era Rei,
um Lider. Tentaram ocultar minha cultura, não
nos deixavam rezar ao nossos deuses,oríxas.
Disseram que era bruxaria , obra do mal ,gritavam
eles, negro tem de ser escravo, negro pagão,
tivemos que colocar nome de santos católicos no
lugar de nossos deuses. Umbanda, Quimbanda, Vudu
e Candomblé. Quem manda é a nossa reza que veio de
longe, lá da mãe África. Cansado então de de ser
escrevo, fugi para o Quilombo do Palmares, e dei
meu grito em busca de nossa liberdade.
SOU FORTE SOU NEGRO.
SOU A VOZ DA LIBERDADE,
SOU MOÇAMBIQUE, DE ANGOLA E DA GUINE.
SOU FORTE SOU NEGRO, SOU VERDADE.
Fui lider negro, fiz revoltas, fui Zumbi, pela
liberdade eu lutei, a morte de perto conheci e vi,
após algum tempo, depois de muitas revoltas e
tantas mortes, fui abandonado a própria sorte.
Apesar de tudo, a luta continua, o negro não pode
desistir, a guerra não acabou.
Eu fui Chica da Silva, Ganga Zumba, Zumbi,
Anástacia, a negra Santa, sua fé e poder eu senti,
eu vi milagres acontecerem, houve uma noite em
que os negros dançaram e agradeceram em homenagem
a uma princesa branca, pela tão desejada
liberdade.
De repente parei de escrever, era como se tivesse
chegado o momento de acabar. Não sabia quem havia
mandado a mensagem e nem porque. De uma coisa
tenho certeza, um dia tudo se esclarecerá.
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui