Usina de Letras
Usina de Letras
22 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62484 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10471)
Erótico (13578)
Frases (50871)
Humor (20083)
Infantil (5503)
Infanto Juvenil (4822)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140912)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->UMA VÍRGULA NUNCA CABE, ENTRE SUJEITO E PREDICADO. -- 02/08/2009 - 10:16 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Grande poeta Jorge Ribeiro
Solicitei lhe este cordel,
Mas este grande menestrel,
Que viaja o Brasil inteiro.
Talvez não saiba seu paradeiro
Por isso ele não deu seu jeito
De me falar a respeito.
Tenho certeza você sabe
Uma vírgula nunca cabe
Entre predicado e sujeito.

Não tive mais outra escolha
E fui buscar na internet
Porque isso a mim compete.
Para escrever nesta folha
Meu protesto para que acolha
Mas não esqueça seu pecado
Coisa que não deixei de lado
Mesmo que o mundo se acabe
Uma vírgula nunca cabe
Entre sujeito e predicado.

Remexendo em meus arquivos
Encontrei este velho rascunho
Que fizera de próprio punho
Pra um amigo muito criativo
E também comunicativo,
A quem sempre tive respeito
Dele saudade bate no peito
Talvez ela jamais se acabe
Uma vírgula nunca cabe
Entre predicado e sujeito.

MOTE: JORGE RIBEIRO SALES
GLOSA: HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
FORTALEZA, AGOSTO/2009.

SAUDADES DO ETERNO AMIGO JORGE SALES.
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 859 vezesFale com o autor