Usina de Letras
Usina de Letras
24 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50863)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->NÃO LEVE A VIDA A SÉRIO, POIS DELA NINGUÉM SAIU VIVO. -- 21/10/2009 - 21:05 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Através de uma gozada
Nós viemos pra esta vida.
Sendo ela boa ou fodida
Um dia estará acabada.
Quando a morte é chegada
É sempre definitivo
Não faz qualquer distintivo
E muito menos mistério
Não leve a vida a sério
Pois dela ninguém saiu vivo.

Busque na vida ter paz
E muita felicidade
Porque em qualquer idade
A morte vai sempre atrás
Não há quem fuja jamais
Pois não há dispositivo
Pra que não seja efetivo
Seu passo pra o cemitério.
Não leve a vida a sério
Pois dela ninguém saiu vivo.

Mesmo sendo o cara rico,
Ou o homem mais poderoso,
Não lhe será generoso.
Alto, grande ou nanico,
Não pode dizer eu fico
Vivo em definitivo,
Pois sou dono dum império
Não leve a vida a sério
Pois dela ninguém saiu vivo.

Viva sempre no presente.
Nunca o que ficou atrás.
Futuro não saberás.
Por tudo isso não esquente
Podemos ir de repente
Tudo isso é compulsivo
E também muito efetivo
É pra qualquer hemisfério
Não leve a vida a sério,
Pois dela ninguém saiu vivo.

O homem pode prorrogá-la
Com toda sua tecnologia
Mas nunca terá a alegria
De não ir para uma vala
Pode estudar a cabala
O fim é definitivo
Dele não há fugitivo
Nisso não há vitupério
Não leve a vida a sério,
Pois dela ninguém saiu vivo.

Dizem que Matusalém
Viveu novecentos anos
Pode ter havido engano.
Mas foi para o além
Pois não esquece ninguém.
O fim não é compreensivo
E isto já é decisivo.
Está vivo, eis o critério.
Não leve a vida a sério,
Pois dela ninguém saiu vivo.


HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
FORTALEZA, OUTUBRO/2009
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 647 vezesFale com o autor