Usina de Letras
Usina de Letras
19 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62484 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10471)
Erótico (13578)
Frases (50871)
Humor (20083)
Infantil (5503)
Infanto Juvenil (4822)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140912)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->DICAS PARA VELHO QUE QUER FAZER AMOR. -- 02/12/2009 - 10:34 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
DESACONSELHÁVEL PARA MENORES DE 18 ANOS DE IDADE.



Chegar à terceira idade
Querendo fazer amor
É preciso ter cuidado.
Às vezes de um favor.
A paciência do parceiro
É sempre o maior fator.

Mas se o sujeito insistir,
Leve em conta essas dicas.
Porque sem elas o velho,
Já problemas com a pica,
Terá grande decepção
E quem sabe se trumbica.

O velho deve usar óculos
Para se certificar
Que a parceira está na cama.
E para encontrar o lugar
Onde deverá meter
Se a vara ainda levantar.

Ajuste o despertador
Pra tocar em três minutos.
No caso de adormecer
Se não for bem resoluto
Não tiver boa performance
Durante seus atributos.

Deixar emergência médica
No celular programado.
Para no caso de urgência
Ser facilmente discado.
Assim poder se evitar
Que o velho vire finado.

Na palma da mão escreva
O nome de quem na cama
Lá estiver com você.
Não trocar nome da dama,
Ou até mesmo se esquecer
E pra outra dizer que ama.

Para que ela não acabe
Caído em baixo da cama.
Fixe bem a dentadura
Isso seria outro drama.
Também apagaria o resto
Da sua já pequena chama.

Para uma boa fixação
Poderá usar Corega.
Esqueça a sua dentadura
Porque ela não escorrega.
Pra uma melhor performance
Agora você se entrega.

Tenha Tylenol à mão
Se der conta do recado.
Pode ter dor de cabeça
E cair ali desmaiado.
E não terá como ser
Depois do ato reanimado.

Faça barulho se quiser
Pois os vizinhos são surdos.
E não haverá ninguém
Pra escutar o chafurdo.
E tampouco estranhar
Aquele grande absurdo.

Se concretizar esse ato
Deve contar as boas novas.
E mostrar para os amigos
Que não ‘tá com pé na cova.
Mas terá grande problema
Pra mostrar alguma prova.

Mas em repetir a dose
Não pense nunca, jamais.
Porque no outro dia sua morte
É notícias de jornais,
Lembre-se que neste esporte
Já deixou de ser um ás.

Muito embora o velho Viagra
Seja bem sensacional,
E dê uma grande ajuda
Pra quem não levanta o pau.
Na terceira idade, cuidado,
Há efeito colateral.


HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
FORTALEZA, NOVEMBRO/2009
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 625 vezesFale com o autor