Usina de Letras
Usina de Letras
32 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50863)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->NA PORTA DO CU DO DONO -- 30/05/2010 - 10:26 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


Tudo na vida tem fim.

Nada para sempre vive.

A vida tem seu declive

Com rola é bem ruim

Se não está mais a fim

Entra num eterno sono

Já trabalhou muitos anos

Hoje velha e alquebrada

Vai viver abandonada

Na porta do cu do dono



Muito prazer sempre deu

A rola velha de guerra

Que agora a vida encerra

E muito priquito comeu.

Hoje essa peça de museu

Vive em total desabono.

O dono chegou ao outono.

A decadência total

Faz dormir o velho pau

Na porta do cu do dono.



Aquele que foi rei um dia

Hoje perdeu a majestade

Tem serventia por metade

A outra está em agonia

Mijar única serventia

Viagra pode ser abono

Pra tirá-lo deste sono

E dar uma sobrevida

Ou pra sempre está perdida

Na porta do cu do dono.



MOTE: MACIEL MELO E ZÉ MARCOLINO

GLOSA: HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO

FORTALEZA, MAIO/2010


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 694 vezesFale com o autor