Usina de Letras
Usina de Letras
31 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50863)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->É O QUE POSSO FAZER COM A LINHA DO EQUADOR. -- 03/05/2011 - 18:20 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Várias sacos, muitas redes,
Bastante calças e camisas
E muitas Torres de Pisa.
Linha pra segura parede
Até construir andor
E amarrar um condor
Ou colchas se cozer
É o que posso fazer
Com a linha do equador.

Fazer linha pra anzol
Para se pescar baleia
Costurar língua alheia
Pra não dizer besterol
Ou rede de voleibol
Roupas da Rua do Ouvidor
Lençol para lavrador
Também se pode tecer
É o que posso fazer
Com a linha do equador.

Preparar ripas pra casa
Ou muita rede de pesca.
Tonel para boresca.
Tocar fogo, fazer brasa.
Um fogaréu que arrasa.
Coberta para trator
Boné para aviador
Também roupa pra bebê
É o que posso fazer
Com a linha do equador.

Muitas casas avarandadas
Pano pra cobrir a rua
E também bastante tábua
Para se fazer escadas.
Deixar pessoas encamisadas
Muito pano pra coador
Jaleco para doutor.
Livros para se aprender
É o que posso fazer
Com a linha do equador.

E faço até caminhão
Nunca farei uma gaiola.
Muitas cadeiras pra escola
Pra político ladrão
Faço um grande alçapão.
Também navio a vapor
Pra mandá-los pra xangô
Caixão pra quando morrer
É o que posso fazer
Com a linha do equador.

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
FORTALEZA, MAIO/2011
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 506 vezesFale com o autor