Usina de Letras
Usina de Letras
84 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59659 )

Cartas ( 21254)

Contos (13324)

Cordel (10319)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9535)

Erótico (13486)

Frases (47208)

Humor (19419)

Infantil (4619)

Infanto Juvenil (3936)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138766)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5656)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->SONETO PROPAROXIBÊBEDO -- 11/07/2006 - 05:17 (Anselmo Cordeiro de Oliveira) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
A bela madeirense, em seu sorriso esplêndido,

Deixou-me entusiasmado, eu, poeta mísero

Que, crente neste amor tão longe, oceânico,

Vislumbro u a Madeira próxima e íntima.



E, amando-a, não arredo os olhos do Atlântico,

Pois, quando o sol se põe em rubros raios fúlgidos,

Desenha-me, no céu, em cor e em linhas nítidas,

Imagens que alimentam o sonho em meu espírito.



O astro rei aquece o meu sonhar onírico,

Trazendo-me a musa envolta em raios cálidos,

Que, em beijos, me embriaga e lança-me em êxtases.;



E, ao fim, num panorama plácido e lânguido,

Na areia, jaz, inerme, um poetaço bêbado,

Enquanto, no horizonte, o sol se esconde, cínico.



net7mares@oi.com.br
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui