Usina de Letras
Usina de Letras
21 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50861)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140904)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->LEI DA FICHA LIMPA -- 03/04/2012 - 20:05 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Nessa nossa ditadura
Chamada de democracia
De políticos corruptos
Que pregam sua homilia
Para enganar o povo
Com muita hipocrisia.

Criam a tal ficha limpa
Para suas candidaturas
Depois pedem a “justiça”,
Que a julgue com candura,
A participação deles
Em outra legislatura.

Qualquer autoridade
Deve muito ser honesta
Não precisa duma lei
Atestando que ele presta
É pura demagogia.
E também de quem atesta.

Pois se o sujeito não presta
Não terá autoridade
Para administrar um povo.
Prover sua prosperidade
Pois para ele roubar
Tornou-se necessidade.

Outrora a folha corrida
Era atestado pra emprego.
Hoje criaram a ficha limpa
Pra nosso desassossego.
Porque para ser político
Não importam escorregos.

Num país de injustiças
Onde avó vai pra prisão
Por não pagar pros netos
O dinheiro da pensão.
Mas vivem soltos bandido,
Criminoso até ladrão.

Inventam lei a toda hora
Sem a menor precisão.
Criaram a Maria da Penha
Para dar satisfação
Pois o Código Penal
Perdeu a utilização.

Lei que só dá proteção
A todo tipo de bandido
Esquecem do cidadão
Que se torna desvalido
Vítima de um poder
Cada dia mais corrompido.

Se um pobre cidadão
Tive o nome no Serasa.
Não pode arranjar emprego
Muito menos comprar casa
Porém se for um político,
Que sempre dá queda de asa

Na grana do nosso povo,
Terá bastante prestígio
Com sua eleição garantida.
Mesmo deixando vestígio
Da sua grande ladroagem
São verdadeiros prodígios

Das urnas. Uns “cidadãos”
Protegidos por poder
Criado muitas vezes só
Pra essa gente socorrer.
O povo assim vai vivendo
Sem ter de quem se valer.

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
FORTALEZA, ABRIL/2012
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 515 vezesFale com o autor