Usina de Letras
Usina de Letras
38 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62410 )

Cartas ( 21335)

Contos (13272)

Cordel (10452)

Cronicas (22546)

Discursos (3240)

Ensaios - (10450)

Erótico (13578)

Frases (50803)

Humor (20074)

Infantil (5487)

Infanto Juvenil (4811)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1377)

Poesias (140872)

Redação (3320)

Roteiro de Filme ou Novela (1064)

Teses / Monologos (2437)

Textos Jurídicos (1962)

Textos Religiosos/Sermões (6235)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->Peleja entre Frei Dimão e Nanda (continuação) -- 29/10/2013 - 04:28 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
***
Não consigo responder à altura do terrível Frei Dimão, mas humildemente seguem minhas contestações:

Como ovelha desgarrada
de meu divino rebanho
quiçá, só exorcizada
voltas ao que eras antanho – Frei Dimão

Se a ovelha desgarrou
Houve aí algum desleixo
Alguém a abandonou
E ela saiu fora do eixo - Nanda

Eu já não nutro esperança
de te salvar a castidade
será o demo com sua usança
querendo tirar-te do frade - Frei Dimão

O mundo sempre oferece
Doçura e encantos mil
Se não houver muita prece
A ovelha não volta ao redil. - Nanda

Pelo caminho que segues
a luxúria está bem presente
só espero que não me negues
que fizeste ato indecente - Frei Dimão

Só realizei umas trocas
Nos nomes de alguns lugares
E conto algumas potocas
Pois só fiz os preliminares. - Nanda

Por indecência eu entendo
namoro com agarração
e nesta ordem emendo
namoro de sofá, paiol e portão - Frei Dimão

Sofá troquei por canapé
Paiol ficou sendo a tulha
O portão foi pro chalé
Onde o par feliz arrulha. - Nanda

Dançar é outra mutreta
que sabes bem de quem é
é coisa do capeta
que te faz desandar na fé - Frei Dimão

Me desculpe, Frei Dimão
Mas a dança eu não dispenso
E espero sua aceitação
Vamos entrar num consenso. - Nanda

Exijo que tenhas presente
esta minha exortação
e voltes a ser obediente
se não castigo-te com meu bordão - Frei Dimão

Vou então para o chalé
Longe de qualquer confusão
Não nado contra a maré
E agrado ao Frei Dimão. - Nanda
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 9Exibido 3688 vezesFale com o autor