Usina de Letras
Usina de Letras
25 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62484 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10471)
Erótico (13578)
Frases (50871)
Humor (20083)
Infantil (5503)
Infanto Juvenil (4822)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140912)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->NA AULA RI-SE, PORÉM NÃO SE GARGALHA. -- 05/03/2014 - 21:22 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Que saudade do meu antigo colégio.
Tempos bons do colégio salesiano.
Quando o mundo não era tão insano.
Os alunos não tinham privilégios.
Não passavam de ano por sortilégios,
Mesmo lendo Pateta e os Metralhas.
Ou qualquer folhetim de outra gentalha.
Se aprendia lá a ter educação.
Para ri devia-se ter discrição.
Na aula ri-se, porém não se gargalha.
Uma boa e sonora gargalhada
Para padre prefeito era grande falta
E por causa mandou-nos pôr na pauta,
Obrigando escrever a garotada,
Mais de mil vezes, pra não ter palmada.
No caderno registrem essa falha.
Porque um erro logo se espalha.
Pra evitar que o fato ainda se repita.
Direção não ficar bastante aflita.
Na aula ri-se, porém não se gargalha.

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
FORTALEZA, MARÇO DE 2014.
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 757 vezesFale com o autor