Usina de Letras
Usina de Letras
24 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62477 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50864)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->A RUÍNA DA PETROBRÁS - PETROLÃO -- 02/12/2014 - 18:25 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

I

Ah! Saudades do Brasil

Que cassava comunista

Combatia a subversão.

Não existia petista.

Nem tanta corrupção

Um Brasil capitalista.

 

II

Sem roubo no orçamento.

O Molusco não tinha

Poder sobre a Nação.

Não havia nenhuma zinha

Amante de presidente

Fazendo uma viagenzinha

 

III

Com dinheiro do País

Para bancos da Suíça.

Nenhum presidente bêbado,

Que  morria de preguiça.

E a corrupção do Congresso

Pelo mensalão atiça.

 

IV

Escândalo era xana

Que a Lília exibia.

Ao lado do presidente

E ele não se mexia.

Pois mulheres mais bonitas

Na Sapucaí havia.

 

V

Simples Elba derrubava

Presidente do País.

Zélia Cardoso dançava

Com um Bernardo feliz.

Não vivíamos sob jugo

Da quadrilha do Luís.

 

VI

Os roubos eram pequenos

Dos Anões do Orçamento.

Hoje se roubam bilhões

A todo e qualquer momento.

São tantas operações

Pra polícia, que tormento!

 

VII

Operações deflagradas:

Satiagraha  a Lava-Jato,

Vêm varrendo o  País.

Para cassar/caçar tantos ratos

Devia haver no País

Incentivo pra criar gatos.

 

 VIII

Molusco era baluarte

Da ética e da moral.

Político não prestava

De todos falava mal.

Mas ao virar presidente

Roubar se tornou normal.

 

IX

Na época dele criaram

O famoso Mensalão.

Genuíno, Zé  Dirceu

Foram parar na prisão.

E agora com a Dilma

Surgiu outro: Petrolão.

 

X

Acabaram a Petrobrácute;s:

A nossa maior estatal.

E ainda fazem campanha

Para culpar general.

E os mensaleiros presos

Pousam: Parecem o tal.

 

XI

O Brasil é muito rico

E repleto de ladrão

Todos se acham no direito

De roubar nossa Nação.

Esse último escândalo

É troco pra o mensalão.

 

XII

Operação Lava-Jato

Descobriu o Petrolão.

O roubo é tão grande

Chega à casa de bilhão.

É tanta gente envolvida

Que não cabe na prisão.

 

XIII

Quebraram a Petrobrácute;s

Para comprar o  Congresso.

Mas com a auditoria

Não conseguiram sucesso.

E o balanço da empresa

Ainda não foi impresso.

 

XIV

Por causa da auditoria

Diretor foi afastado.

Deve ser incompetência

Do senhor Sérgio Machado,

Pois tudo que administrou

Hácute; muito estácute; quebrado.

 

XV

O PT sempre foi contra

Toda privatização.

Por que a intenção dele

É ser dono da Nação.

E o Congresso Brasileiro

Jácute; comprou por um tostão.

 

XVI

Contratos eram fraudados

Pra dinheiro da propina.

Quebraram a maior estatal,

Que produzia  gasolina.

A grana também serviu

Pra acabar com  Marina.

 

XVII

Ganharam as eleições

E preparam na surdina

Transformar nosso País

Em verdadeira ruína.

Ou mesmo na Venezuela

Que só produz parafina.

 

XVIII

O processo de ladroagem

Se aperfeiçoou com  Molusco.

E os roubos nos País

Tornaram-se muito bruscos.

A violência campeia

No claro e no lusco-fusco.

 

XIX

A ladroagem é tamanha

Que transformar em prisão

O prédio da Petrobrácute;s.

Estácute; em cogitação.

E lácute; dentro deixar presa

Da estatal sua direção.

 

XX

Pagaram tanta propina.

Acabaram com gasolina.

Foi Petrobrácute;s à ruína.

Destruíram a Marina.

Grassa aqui a cocaína.

Até secretaria Lina

 

XXI

Foi vítima de faxina,

Por incriminar menina.

Hoje é quem  nos domina.

Até Congresso elimina.

Bandida é heroína.

Roubou Ademar na surdina.

 

XXII

Era  do grupo Colina.

Sequestrou e fez chacina.

O Congresso cafetina

Que acabar com disciplina

Mas militar abomina

E farácute; uma faxina,

 

 

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO

FORTALEZA,DEZEMBRO/2014

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 371 vezesFale com o autor