Usina de Letras
Usina de Letras
25 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50863)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->SEU VOTO DEPUTADO! IMPEACHEMENT -- 19/04/2016 - 17:54 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


O Congresso Nacional,

Numa noite lusco-fusco,

Cortou as garras do Molusco.

Do povo teve o aval

Foi, porém, um festival

Verdadeiro de besteira.

Cada voto uma asneira,

Falava o deputado

Ao microfone chamado.

E nós descendo a ladeira.



Voto em homenagem

A todos lgvt’s

Dentro e fora do poder.

Por toda a bandidagem

Pra manter a percentagem

No rouba da Petrobrácute;s.

E também da Eletrobrácute;s.

Por aqueles e aquelas

E por todas as favelas

De Copacabana ao Brácute;s.



Voto pela minha tia.

Por cachorro e cadela

Pela Fortaleza bela.

Por duas rãs e uma gia,

O meu é pela Bahia.

Muitos pelo thau querida

Outro por massa falida.

Um bandido sem respeito

Tentou agredir um sujeito

Dando-lhe uma cuspida.



Eu voto pelos Menudos

E eu pelas favelas

Também por quem queima a ruela.

Meu voto é para os buchudos.

E por todos os chifrudos.

Não teve um só infiel,

Frequentador de motel,

Que se lembrasse da amante.

Oh! Gente deselegante.

Cunha foi mesmo gigante,



Sereno, calmo, elegante:

“O seu voto deputado.”

Um celular foi achado.

Devolvido por meliante,

De modo impressionante,

Ao seu légitimo dono.

E merece desabono

Este ato inusitado

No meio de tantos safados

Que se acha dono do trono.



Por paz em Jerusalém

Dedico este meu voto

E por quem anda de moto.

Dedico ainda também

A quem foi para o além.

Nenhum pela rapariga

Mas quase que houve briga.

Voto pela cafetina

Do cabaré da esquina,

Pela criança na barriga.



Dizendo thau ao PT,

Esse partido das trevas,

Com membros que curtem a eva,

E por meu ateliê

Eu voto para vencer.

O nome de Deus em vão

Foi usado como refrão.

Parecia até panfleto

Lácute; do velho Portão Preto,

Ou lista do Petrolão.



Faz dois anos que conspira

Contra nossa presidente

Voto contra esse indecente.

Como raiva e muita ira.

Voto pelo Chico Bira.

Por ser do Internacional

E fez um gol no Grenal.

Esse voto eu dedico

Por todo e qualquer jerico,

Pelo cabaré do Val.



Por família quadragular

Evangélica brasileira

Também pela estrangeira,

De qualquer outro lugar

Mesmo de Madagascar.

E por todos os covardes.

Comunista faz alarde

Aqui e em Gibraltar

E numa mesa de bar

Se a roupa não desencarde.



Não vou aqui citar colega

Que disse que vai embora,

Imediatamente, na hora,

Se perder essa refrega.

E deixa até sua bodega.

Pois jácute; comprei sua passagem

Para que esse fuleragem

Se mande daqui pra Cuba

Vácute; desfilar em Aruba

Toda aquela sua viadagem.



O nível parlamentar

Do Congresso Brasileiro

É mesmo muito rasteiro.

Muito nos faz lamentar

Não se ter em quem votar:

Deputado, senador,

Presidente, vereador,

Isso faz da corrupção

Endêmica na Nação,

Lula seu maior mentor.



HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO

FORTALEZA, ABRIL/2016


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 420 vezesFale com o autor