Usina de Letras
Usina de Letras
17 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62477 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50864)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->RESSACA DO CARNAVAL -- 17/02/2018 - 20:35 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
É quarta-feira de cinzas
Acabou-se o Carnaval.
Muitos voltam para casa
De ressaca, passando mal,
Outros bem endividados
E com ressaca moral.

Em acidente fatal
Teve muitos envolvidos,
Que perderam suas vidas
Sem Carnaval ter curtido.
Casos de separação
E amor mal resolvido.

Tem caso de enrustidos
Que passou a soltar a franga.
Aproveitou o Carnaval
De fora botou as mangas.
Muitos deixaram a mulher
Pra curtir uma baranga

Com um fio dental ou canga.
Tem gente em hospital.
Outros voltam pra casa
Encontram bois no curral.
Pois levaram par de chifre,
A mulher tem filial,

Com ele faz sexo anal.
Virgem foram para espaço
E na euforia da festa
Entregaram seu cabaço
Teve que pegasse bucho
À procura de ricaço.

Muitos estão no bagaço,
Com as suas casas roubadas.
Tem quem esteja chorando,
Muito decepcionada,
Porque sua escola de samba
Está desclassificada.

Tem mulher que foi estuprada.
Até contraíram doenças.
Bastante assassinatos,
Muitas brigas, desavenças.
Pois a Segurança Pública
Teve pequena presença.

No Rio foi grande a crescença
De roubos, saques, violência.
Do Estado foi decretada
A sua interveniência
Pelo Governo Federal
E seu grupo de excelência.

Agora está na eminência
Do Governo do Estado
Levar um Pezão na bunda,
Junto com outro safado,
O prefeito da cidade,
Do poder serem apeados.

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO
FORTALEZA, FEVEREIRO/2018
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 243 vezesFale com o autor