Usina de Letras
Usina de Letras
52 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59672 )

Cartas ( 21255)

Contos (13337)

Cordel (10321)

Crônicas (22226)

Discursos (3170)

Ensaios - (9538)

Erótico (13486)

Frases (47225)

Humor (19422)

Infantil (4629)

Infanto Juvenil (3942)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138797)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5662)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->TANTO SOL -- 10/12/2007 - 23:10 (ANTONIO MIRANDA) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos




TANTO SOL



Poema de Antonio Miranda





A bússola aponta

para

o

sul.



As galinhas uivam

e os gatos assoviam;

os patos solfejam

e as vacas sonham.



Nestas terras abandonadas

não se pronuncia

o nome de Deus

sem o arrepio da dor

—clamor e penitência.



Carcarás domesticados

os homens-jegues arrependidos

com seus fardos .



Os pássaros desencantados

os romeiros e as rameiras

e os retirantes, penitentes

os esmoleres conformados

e os tropeiros

e os ciganos

—discursos ensarilhados.



Nestas terras de usura

não tem fartura,

se tortura, não há

sossego e perdão;

tem gibão

e fogo na carnatura

— ave de arribação.



Nas agruras do sertão

nas lonjuras insondáveis

vaga o homem, e cisma

em seu confinamento

— tanto sol e solidão.







Poema do livro inédito DO AZUL MAIS DISTANTE. 2007

Mais poemas do autor em www.antoniomiranda.com.br

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui