Usina de Letras
Usina de Letras
21 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62476 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50863)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->O ESPELHO -- 16/03/2008 - 15:54 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


Ontem, eu encontrei amigos de outrora.

Amigos, que há muito não via. Rugas...

Comigo mesmo pensei: foi-se a aurora.

O espelho mente e não noto. Me estuga



A pensar que eu também não as tenho.

Que mentira nos prega o espelho. Ora,

Vemo-nos todos os dias... Mas o cenho?

Muda e não se nota. O tempo nos devora.



Eis o nosso mimetismo, na fuga

De nossos medos, que nos apavora.

Mas o tempo a passo de tartaruga



Consome-nos... Não somos imortal.

Caminhamos inexoravelmente

Para velhice. Prelúdio final.



HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO

MARÇO/2008

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 755 vezesFale com o autor