Usina de Letras
Usina de Letras
48 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59666 )

Cartas ( 21255)

Contos (13325)

Cordel (10320)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9537)

Erótico (13486)

Frases (47215)

Humor (19420)

Infantil (4627)

Infanto Juvenil (3940)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138779)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5659)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Prece -- 08/04/2008 - 14:27 (André M. Hemerly) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


Prece



Permita-me ser o Sol,

Com sua luz forte,

Iluminando todos os recantos da Terra,

Rompendo o medo da eterna noite...



Caso eu não possa ser o Sol,

Que eu seja então a Estrela distante,

Com sua luz fraca,

Indicando o caminho aos eternos viajantes,

Ofertando o merecido descanso...



Caso eu não possa ser a Estrela distante,

Que eu seja então uma lâmpada,

Com sua luz incandescente,

Iluminando as várias moradas,

Não diferenciando o Palácio do Tugúrio...



Caso eu não possa ser uma lâmpada,

Que eu seja então uma vela,

Com sua luz trêmula,

Iluminando o olhar do velho homem,

Acabando com a tristeza da escuridão...



Caso eu não possa ser a vela,

Que eu seja então um fósforo,

Com sua luz efêmera,

Queimando-se para iluminar,

O objetivo de se estar aceso...



Caso não possa ser o fósforo,

Que eu seja então o simples vaga-lume,

Com sua luz inconstante,

Sinalizando num vôo embriagado,

A coragem de penetrar na noite eterna...



Caso eu não possa ser o simples vaga-lume,

Que eu tenha então apenas o brilho do olhar

De um homem que ainda sonha.



Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui