Usina de Letras
Usina de Letras
23 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62484 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10471)
Erótico (13578)
Frases (50871)
Humor (20083)
Infantil (5503)
Infanto Juvenil (4822)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140912)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->ARACI DE CARVALHO A HEROÍNA DESCONHECIDA -- 01/03/2020 - 10:13 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

A memória de nosso povo

Sempre foi muito curta

E nossos grandes vultos

A esquerda sempre furta

Se aqui surge um homem

Fica louca, mente e surta.

 

Com ajuda da imprensa

Também de historiadores

A história é omitida

Encobrindo seus horrores.

Trácute;fico, assassinatos

Por aqui se dácute; louvores.

 

Faz filme para o Molusco

Maringhela, Zé Dirceu,

Mas esquecem quem deu a vida

Pra salvar a de judeu,

Grande Araci Carvalho,

O mundo reconheceu

 

Dando-lhe nome de museu,

De ruas em Jerusalém,

“Como justa entre nações”

Reconhecida também

Mas a grande brasileira

Por aqui não é ninguém.

 

O trabalho da heroína

Realizado em Hamburgo

Na época do nazismo

E de seus grandes expurgos

Que transformava os povos

Em sub-raças ou liturgos

 

Desobedeceu as ordens

Contrariando a Getúlio,

Que no Brasil quis ser deus

Considerando-se Júlio,

Mas com muita coragem

Deu passaporte e pecúlio

 

Pra judeu poder fugir

Do holocausto nazista

Dos campos de concentração

Do massacre comunista

Ela enfrentou Hitler

E regime getulista.

 

Seu trabalho não deu enredo

Para as escolas de samba

Por elas não considerada

Como uma pessoa bamba

Pois pra escolas só presta

Quem é bandido pra caramba.

 

Tudo que é depravado

É mostrado pela Globo

Homenagem por escolas

Elogiado por Lobos

E atacado por suínos

Que querem nos fazer de bobos

 

Um povo trabalhador

Forte como um Carvalho

Que todo dia é passado

No azeite, na casca do alho

E ninguém no seu pescoço

Vai colocar um chocalho.

 

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO

FORTALEZA, MARÇO/2020

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 261 vezesFale com o autor