Usina de Letras
Usina de Letras
68 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60374 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9719)

Erótico (13520)

Frases (48266)

Humor (19559)

Infantil (4832)

Infanto Juvenil (4183)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139383)

Redação (3120)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5813)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->ANJO PERDIDO -- 24/07/2008 - 14:24 (Alberto Batista) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
ANJO PERDIDO



Digo e redigo...

Que nas ruas e becos,

Misteriosas e lendárias.

A Praia Grande de São Luís

Revela um anjo feminino nova e sapeca

Que informará a todos sobre a divina luz.



É através dessa luz divina

Que inicio o meu verso

Na inspiração noturnamente rodrigueana

Um anjo feminino protagonista em sua personagem principal.

[ela mesma]



A sabedoria ainda adolescente

Dentro dos dogmas católicos

Mas a sua voz!

Ah! Sua voz!

Ecoa um som alvoroçado

Retinindo em nossos ouvidos

Como pecado lascivo e animal.



E diz a todos que a rodeia:

“Onde há morte têm vida,

Onde tem vida têm contato,

E a vida é feita de contato”.



O contato que esse anjo que explicitar,

É feito entre dois corpos nus,

Obviamente a carne seduz a alma,

A alma induz o corpo ao contato puramente carnal

[anal]



É isso mesmo,

Quando a carne encontra o prazer,

A alma não encontra o amor.

E quando a alma encontra a felicidade,

A carne fica em segundo plano.



Mas esse anjo feminino respira a verdade,

Está em seu rosto delicado.

Mas o que sua face propõe

É algo bem parecido,

Aos anjos femininos de Nelson Rodrigues.



ALBERTO BATISTA
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui