Usina de Letras
Usina de Letras
70 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59808 )

Cartas ( 21263)

Contos (13364)

Cordel (10327)

Cronicas (22226)

Discursos (3173)

Ensaios - (9574)

Erótico (13486)

Frases (47466)

Humor (19436)

Infantil (4676)

Infanto Juvenil (4003)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138983)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2436)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5702)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->EU DEIXEI DE FALAR COM AS PAREDES PORQUE NÃO SOU JUMENTO -- 01/08/2021 - 16:13 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

O progresso humano é constante

Nos diversos setores de sua vida

Aprender na verdade é subida

Que se galga se ido sempre avante

O passado norteia nosso adiante

Com os anos ficamos reservados

Com petista discutem os lesados

Pois é como prender água em rede   

Eu deixei de falar com as paredes

Porque não sou jumento batizado

 

Parar de comer bosta uma abelha

Jamais vai convencer a qualquer mosca

Ou trocar merda por uma boa rosca

Mesmo que mosca apanhe na orelha

Pois a mosca prefere uma cortelha

A recinto mais limpo e bem asseado

E prefere comer merda a melado

Não vá ao pote com bastante sede

Eu deixei de falar com as paredes

Porque não sou jumento batizado

 

 

 

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO

FORTALEZA, JULHO/2021

Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 25Exibido 212 vezesFale com o autor