Usina de Letras
Usina de Letras
67 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60283 )

Cartas ( 21285)

Contos (13379)

Cordel (10352)

Cronicas (22252)

Discursos (3187)

Ensaios - (9687)

Erótico (13520)

Frases (48078)

Humor (19493)

Infantil (4786)

Infanto Juvenil (4142)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1344)

Poesias (139180)

Redação (3100)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2436)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5773)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->O MATUTO E O DRONE -- 15/02/2022 - 01:06 (Renato Souza Ferraz) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

O DRONE E O MATUTO

Renato Ferraz

 

Seu João nora num sítio, na zona rural

Quando lhe perguntam sobre a situação atual

Ele responde que há 75 anos a vida era pior

Ressalva que muita coisa poderia ser melhor.

 

Ele e os vizinhos são homens de saber limitado

Seu João se destaca por ser mais bem informado

Lembra do rádio como o único meio de comunicação

Mesmo assim era ouvido com alguma limitação

 

Ele passa o dia atento ao noticiário da televisão

E pede ajuda externa se não tiver compreensão

É um líder porque tem mais conhecimento

Todos gostam de ouvi-lo a qualquer momento

 

Basta vê-lo que querem ouvir sobre as novidades

O que faz brilhar seus olhos e responder com serenidade

Tanto orgulho sente, parece ser um bom orador

Mantém uma relação de respeito com cada morador

 

Uma vez ao mês os moradores se reúnem em diversão

Comem, brincam, bebem com bastante animação.

No último encontro, todos ficaram bastante curiosos

Perguntaram-lhe sobre as novas invenções dos estudiosos

 

Ele não se fez de rogado e começou a discursar:

Eu vou contar, mas vocês não vão acreditar!

Agora inventaram um avião que não precisa ser pilotado

O bicho vê tudo lá de cima e fotografa feito um danado

 

Dizem que fiscaliza a plantação e até terrorista mata

Mas isso não sei se procede ou se é mesmo uma bravata

Todos lhe perguntaram o nome dessa máquina possante

É um nome tão estranho que parece até ser elefante

 

Eu acho muito esquisito, é “drônio” o nome do danado,

E é por um controle remoto que ele é guiado

Faz vídeo e fotografia da mais alta qualidade.

E entra em lugares que o homem não tem capacidade

 

Inquiriram-no se o tal drônio somente isso sabia fazer

Ele citou várias atividades, até incêndio sabe combater

Leva medicamentos e alimentos para lugares isolados

Fiscaliza pragas na lavoura em ambientes rurais afastados,

 

Conserta rede elétrica, ajuda em resgate de desastres naturais,

Realiza muita coisa e quanto mais difícil for, aí é que ele faz

Há tempo uma novidade não deixava Sei João tão emocionado

Falar sobre o drone era como se ele o tivesse inventado.  

Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 3Exibido 243 vezesFale com o autor