Usina de Letras
Usina de Letras
22 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50863)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->MEU SOLDADA MINHA ÁRVORE OU MEU PÃO COM MORTADELA -- 02/10/2023 - 11:36 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

O Exército de Caxias

Sempre esteve invicto

De suas obrigações convicto

Até virar melancia

Tudo da noite pro dia

Ao enfiar pela goela

Caindo na esparrela

Do povo perdeu seu escore

Meu soldado, minha ácute;rvore

Ou meu pão com mortadela

 

Nosso soldado tão brioso

Em um passado recente

Mas por lácute; tem muita gente

Que não nos deixa orgulhoso

Hoje tornou-se medroso

Para PT amarela

Entrega-nos na panela

Pra que PT nos devore

Meu soldado, minha ácute;rvore

Ou meu pão com mortadela

 

Com dinheiro de imposto

No dia da Independência

Soldado faz continência

Alguns mesmo a contragosto

Muita tristeza no rosto

Pra quem esteve na cela

Por ele feito cadela

Ou mesmo vaca nelore

Meu soldado, minha ácute;rvore

Ou meu pão com mortadela

 

A traição de generais

Com o povo brasileiro

No dia oito de janeiro

Ficarácute; sempre nos anais

Mesmo omisso nos jornais

Na farda deles, nas lapelas

Ser escrito: mortadela

E nas suas pedras de mácute;rmore

Meu soldado, minha ácute;rvore

Ou meu pão com mortadela

 

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO

FORTALEZA, SETEMBRO/2023

 

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 67 vezesFale com o autor