Usina de Letras
Usina de Letras
26 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50861)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140904)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->MINHA ALMA MATUTA FOI GERADA NAS ENTRANHAS DO VENTRE DO SERT -- 01/11/2023 - 08:12 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Nas capoeiras aqui deste Nordeste

Onde a ácute;gua é bem bastante escasso

Cujo povo lutou contra o cangaço

Conhecido por ser cabra da peste

Combateu a tal Coluna Prestes

Pra livrar dos comunas a Nação

Que também lutou contra Lampião

Não se esquece da sua terra amada

Minha alma matuta foi gerada

Nas entranhas do ventre do sertão

 

 

Sequidão e um sol abrasador

Sertanejo enfrenta desafios

Mesmo sem ter qualquer ácute;gua no rio

A lutar contra a seca seu maior terror

Porém pela sua terra tem amor

Nunca esquece o seu velho torrão

Trabalhando em prol da sua Nação

Construiu Brasília, fez estrada

Minha alma matuta foi gerada

Nas entranhas do ventre do sertão

 

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO

FORTALEZA, OUTUBRO/2023

Comentarios

Eliana Barros   - 01/11/2023

Uau! Amei poeta seu cordel.
Me envolveu na história. Obrigada poeta por nos envolver na capacidade de Amar.
Um forte abraço.
PARABÉNS. 👏👏👏👏👏👏👏👏

O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 133 vezesFale com o autor