Usina de Letras
Usina de Letras
20 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50861)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140904)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->VIAGEM FANTÁSTICA - TRÊS HERÓS BRASILEIROS -- 01/03/2024 - 16:37 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Brasil tem muitos heróis

De façanhas impossíveis

Homens que permanecem

Até hoje invisíveis

Feitos extraordinácute;rios

Pra muitos inacessíveis

 

Foi no século passado

No ano de vinte e oito

Que três grandes brasileiros

Sujeitos muito afoitos

Foram para Nova Iorque

Não levaram nem biscoito

 

Mecânico Mácute;rio Fava

Leônidas Borges Ribeiro

Francisco Lopes da Cruz

Este era engenheiro

De carro iniciaram viagem

Por território estrangeiro

 

Para unir as Américas

Numa grande rodovia

No tempo em que carro

Pouca gente conhecia

E nem trezentos quilômetros

De estrada no mundo havia

 

Vinte e oito mil quilômetros

O percurso percorrido

Cruzaram quinze países

Estes bravos, destemidos

Passaram o Pantanal

E quase foram comidos

 

Por uma onça, mas foram

Pelos índios socorridos

Na floresta colombiana

Trinta dias ficaram perdidos

No Equador foram pelo

Presidente recebido

 

Quando da grande façanha

No mundo oito mil carros

Era só o que havia

E as estradas de barro

Para viajar construíam

Trabalho ácute;rduo e bizarro

 

 

Até hoje ainda são

No Brasil desconhecidos

A viagem foi em dois Fords

Que tinham os apelidos

De Brasil e de São Paulo

Dados pelos destemidos

 

No caminho não havia

No tempo desta façanha

Um posto de combustível

Fava criou uma artimanha

Pra lubrificar os carros

De porco usou a banha

 

Sem ter como abastecer

Duma maneira incrível

Com gácute;s e banha de lhama

Ele fez o combustível

Que abasteceu os carros

E a viagem foi possível

 

Atravessaram os  Andes

Quase toda a Amazônia

Passaram na Argentina

Beirando a Patagônia

Com índia Lopes se casa

Numa bela cerimônia

 

Celebrada na Colômbia.

Abriram trilhas nas matas.

Mácute;rio Fava quase morre

Ao beber ácute;gua do Prata

Ele pegou paludismo.

Carro virou na cascata

 

Ficou todo desmanchado

Pelo Fava foi refeito.

Na Colômbia com malácute;ria,

Ficaram doentes de leito

De novo salvos por índios

Puderam seguir no feito

 

Levaram uns quatro meses

Para atravessar os Andes

Sua altura, sua neve que

Por todo lado se expande

No Canal do Panamácute;

Os carros viraram flandes

 

Para cruzarem um pântano

Foram todos desmontados

Em balsas puxadas por bois

Assim foram transportados

Para novamente serem

Montados do outro lado

 

Para atravessar a América

Foi dada autorização

Que Eliot Ness assinou

E tiveram condição

De chegar a Nova Iorque

Pra concluir a missão

 

Ao passaram por Detroit

Ford fez-lhe uma proposta

Para comprar os seus carros

Porém, não foi a resposta

E no Museu Mácute;rio Fava

As mácute;quinas estão expostas

 

Só dez anos depois eles

Voltariam ao País

Depois do enorme feito

Como o do Quatorze Bis

Aqui são desconhecidos

Sem ter nomes nem no Quis.

 

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO

FORTALEZA, MARÇO DE 2024

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 197Exibido 89 vezesFale com o autor