Usina de Letras
Usina de Letras
61 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60373 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9718)

Erótico (13520)

Frases (48265)

Humor (19557)

Infantil (4831)

Infanto Juvenil (4183)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139381)

Redação (3120)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5813)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Seis Quartetos em Si -- 07/10/2008 - 20:33 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
O Projeto Poema com Manteiga traz, agorinha pela manhã, um poema do paraibano e agora imortal Nêumanne Pinto.



Um abraço,



Ivaldo Gomes





***



SEIS QUARTETOS EM SI



Nêumanne Pinto



(Este poema vai para João Gilberto, Gilberto Gil e Carlos Vogt)



A poesia é decerto uma loucura



(Álvares de Azevedo)





O poeta é um traidor...



(apud Fernando Pessoa)







A poesia



é o lugar comum,



onde o poeta



ri de si mesmo.





A poesia



é um pilar incomum,



onde o poeta



cisma consigo mesmo.





A poesia



é um berço sem grades,



de onde o poeta



sai para si mesmo.





A poesia



é um buraco negro,



onde o poeta



trai a si mesmo.





A poesia



é um salto sem rede,



onde o poeta



cai sobre si mesmo.





A poesia



é um caixão sem tampa,



onde o poeta



encerra os seus mesmos.





São Paulo – 14 de setembro de 2002





Obs.: O jornalista e escritor José Nêumanne Pinto é membro da Academia Paraibana de Letras (F. Maier).





Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 490Exibido 564 vezesFale com o autor