Usina de Letras
Usina de Letras
37 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60374 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9719)

Erótico (13520)

Frases (48266)

Humor (19559)

Infantil (4832)

Infanto Juvenil (4183)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139383)

Redação (3120)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5813)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->CAMA FRIA -- 31/10/2008 - 16:17 (Alberto Batista) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
CAMA FRIA





Não há ninguém, que possa dizer.

Que homem nunca fora frio,

Com uma mulher na cama,

Sendo sumariamente gelado na hora “H”.



Sem aquecimento escárnio

Sem beijo lascivo,

Com sabor de pimenta sem mordida



O som dos gametas não encanta

Apenas entoa uma conferencia carnal... Anal.

Não resta sombra de duvida, é sexo sem amor.

Este é o prognostico dos pólos da globalização.



O grande arrependimento do homem

E a recaída logo em seguida,

Arrebatando sem piedade e nem dó

Ou qualquer coisa igual ao um sentimento

Que possa deixá-lo comovido pelo ato que fez.



O mundo modista inventa...

Hoje, a crueldade, o fatalismo. Eis a modernidade.

Dentro da crença ao desamor acelerado,

Determinando a permanência do capitalis-sexus-prazeres.







Alberto Batista



Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui